Theatro Municipal do Rio digitaliza 8 mil documentos de acervo

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro iniciou, como parte das comemorações de seus 110 anos, a entrega para o público 8 mil documentos digitalizados em seu site, que retratam espetáculos realizados desde a inauguração, em 1909. Os 110 anos do museu serão completados em 14 de julho.

No acervo, é possível encontrar programas de apresentações, fotos e matérias de jornais. A chefe do Centro de Documentação (Cedoc) do Theatro Municipal, Fátima Gonçalves, disse à Agência Brasil que o trabalho, de quatro anos, envolveu equipe do próprio teatro. “Estamos entregando 8 mil documentos na íntegra e a gente espera que o restante [do acervo] venha para o público muito antes do previsto.” A documentação disponível corresponde aos primeiros 50 anos de atividades.

Segundo o presidente do teatro, Aldo Mussi, a digitalização dos 60 anos restantes já foi iniciada.

Fátima Gonçalves destacou, entre os documentos digitalizados, está o de inauguração do teatro, no dia 14 de setembro de 1909; a peça Mambembe, com Fernanda Montenegro e Sérgio Britto; da Companhia de Teatro dos 7, comemorativo ao cinquentenário; a apresentação da peça Dom João Tenório, que teve figurinos e cenários assinados por Salvador Dalí, em dezembro de 1959.

Programa da peça O Mambembe

Programa da peça O Mambembe – Acervo Cedoc/FTMRJ

Bidu Sayão e Nelson Rodrigues

Da vasta lista, constam também a primeira apresentação completa do balé Lago dos Cisnes para a América Latina, em 1959; a estreia da cantora lírica Bidu Sayão em O Barbeiro de Sevilha, em julho de 1926, quando ela integrava a Companhia Italiana do Teatro Constanzi; a estreia da peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, em dezembro de 1943, considerada “um divisor de águas em relação à discussão de uma nova moralidade e dos temas tabus na sociedade da época”; a primeira audição mundial da ópera Izaht, de Villa-Lobos, em 1958; e a apresentação da ópera Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes, com música de Tom Jobim e cenário de Oscar Niemeyer, em 1956.

Programa da Inauguração do Theatro Municipal do Rio, no dia 14 de setembro de 1909

Programa da Inauguração do Theatro Municipal do Rio, no dia 14 de setembro de 1909 – Acervo Cedoc/FTMRJ

“A gente tem muita coisa para rememorar”, afirmou a chefe do Cedoc, citando o recital do compositor e pianista russo Igor Stravinsky, em 1936, e a apresentação do também compositor clássico Richard Strauss, em 1922.

Fátima Gonçalves relembra que, de 1909 a 1959, o Theatro Municipal era considerado a principal instituição de cultura do antigo Distrito Federal. “Tudo que era nome famoso, tudo que era moda, se apresentava aqui”. Um exemplo foi a cantora lírica grega Maria Callas, que se apresentou em setembro de 1951. “A gente teve toda essa efervescência dentro do Theatro Municipal e, agora, o público vai poder se deliciar com essa história toda.”

Para fazer a consulta, o interessado deve acessar a página, buscar a opção Centro de Documentação e clicar em Acesso à Pesquisa. Na nova janela, é preciso entrar em Acesse o acervo on line e, em seguida, na outra janela, clicar na caixa Museu, FTM – Centro de Documentação do Theatro Municipal.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Veja mais aqui...