Categorias
Brasil Governo Licitação Procuradoria Transporte Tribunal

STF nega suspender lei de relicitação de ferrovias

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou hoje (20) a suspensão da Lei da Relicitação (Lei 13.448/2017), norma que estabeleceu critérios para a prorrogação antecipada de contratos de ferrovias sem licitação. Por 7 votos a 2, os ministros entenderam que a norma é constitucional e não viola os princípios da moralidade e da impessoalidade ao dispensar a ampla concorrência. 

A ação questionando a legalidade da lei foi protocolada pela Procuradoria-Geral da República (PGR, em agosto do ano passado, durante a gestão da ex-procuradora Raquel Dodge. No entanto, na sessão de hoje, o procurador-geral, Augusto Aras, divergiu de Dodge e pediu a rejeição do processo. Segundo Aras, o MPF fez um acordo com o governo federal e vai acompanhar todas as obras de infraestrutura para evitar fraudes. Dessa forma, a lei deve ser mantida.

Ao analisar o caso, os ministros seguiram voto da relatora, Cármen Lúcia. Para a ministra, a Lei da Relicitação, em análise preliminar, foi criada para manter a regularidade do serviço público de concessão das ferrovias. Além disso, a ministra ressaltou que os contratos podem ser fiscalizados pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). 

Seguiram o voto da relatora os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e o presidente, Dias Toffoli. 

Edson Fachin e Marco Aurélio ficaram vencidos na votação e entenderam que a prorrogação dos contratos devem passar pelo processo de licitação para não impedir que outras empresas possam participar.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Financeiro

BC cria linha de redesconto para sistema de pagamento instantâneo

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje (20) uma resolução que garante o funcionamento 24 horas do Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos que entrará em vigor em novembro. O Banco Central (BC) foi autorizado a conceder linhas de redesconto – linhas em que a autoridade monetária socorre temporariamente instituições financeiras – às instituições que farão parte do programa.

Segundo o Banco Central, a linha de redesconto permite que o Pix, que promete liquidar pagamentos entre bancos diferentes em 10 segundos, funcione fora do horário comercial. Para ter direito ao redesconto, a instituição não precisa participar do Sistema de Transferência de Reservas (STR). Basta aderir ao Pix e estar inscrita no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic).

As instituições financeiras precisam cumprir exigências mínimas de capital próprio e de compulsórios, recursos mantidos no caixa do BC para garantir a segurança do sistema financeiro. Por meio do redesconto, os bancos emprestam, por algumas horas, recursos entre si para garantir o cumprimento das metas até o dia seguinte.

Como o STR, que operacionaliza essas transferências temporárias, fecha às 18h30, bancos com eventuais dificuldades de liquidez não poderiam usar o sistema de pagamentos instantâneos depois do horário. Dessa forma, o Banco Central criou a linha especial de redesconto para ser usada 24 horas por dia.

No caso de uma entidade usar a linha especial de redesconto, o Banco Central liberará imediatamente o dinheiro para a conta inscrita no Pix. A instituição pagará a operação no dia útil seguinte ao fechamento do STR.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil

Banco Central tem lucro de R$ 85,57 bilhões em 2019

Depois de registrar lucro de R$ 172,1 bilhões em 2018, o Banco Central (BC) fechou 2019 com lucro operacional de R$ 85,57 bilhões. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje (20) o balanço com as contas da instituição financeira no ano passado.

Do lucro total, R$ 42,93 bilhões correspondem ao lucro operacional (ganhos com o exercício da atividade), R$ 35,08 bilhões ao lucro com reservas internacionais e derivativos cambiais (como os swaps, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro) e R$ 7,56 bilhões vêm de recursos de equalizações cambiais recebidos do Tesouro Nacional.

Desde 2008, o banco registra os resultados operacionais e cambiais de forma separada. No primeiro semestre do ano passado, o BC tinha tido lucro operacional de R$ 21,04 bilhões e perda de R$ 7,56 bilhões com as equalizações cambiais, que foi coberta pelo Tesouro. No segundo semestre, o órgão teve lucro operacional de R$ 21,89 bilhões e lucro de R$ 35,08 bilhões com as operações cambiais, impulsionado pela alta do dólar.

A moeda norte-americana, que subiu 3,5% ano passado, multiplica o valor em reais das reservas internacionais, que fecharam 2019 em US$ 359.394 bilhões. Isso ampliou os ganhos da autoridade monetária, mesmo com a venda de cerca de 10% das reservas externas pelo BC no segundo semestre do ano passado. Outra parte do lucro cambial vem do resultado das operações de swap cambial, que funcionam como venda de dólares no mercado futuro.

Por causa da nova legislação que regulamenta a relação entre o Banco Central e o Tesouro, a destinação dos lucros da autoridade monetária mudou. Os resultados positivos do primeiro semestre foram repassados ao Tesouro Nacional. Em relação ao segundo semestre, somente o lucro operacional será transferido ao Tesouro em até dez dias úteis. O lucro cambial irá para uma reserva interna do BC que aumentará o patrimônio líquido do banco e será usada para abater prejuízos futuros com as operações cambiais, caso o dólar caia no futuro.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Justiça Tribunal

Petroleiros da Petrobras suspendem greve

Os petroleiros da Petrobras decidiram hoje (20) suspender a greve da categoria. O anúncio foi feito pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), que representa 13 sindicatos da categoria no país. Está marcada para esta sexta-feira (21), uma audiência entre representantes da categoria e da Petrobras com o ministro Ives Gandra, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Os petroleiros estavam em greve desde 1º de fevereiro, contra as demissões previstas na Araucária Nitrogenados (Ansa/Fafen-PR), que pertence à Petrobras. Segundo a Federação Única dos Petroleiros, mil empregos serão perdidos com o fechamento da fábrica de fertilizantes, decisão tomada pela Petrobras porque a unidade gera prejuízos e não despertou interesse de compradores.

A Petrobras informa que planeja 396 demissões e oferece acordos indenizatórios que incluem manter assistência médica e educacional por um período. De acordo com o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, outras demissões podem ocorrer, ou não, já que se referem a empregados de empresas contratadas pela petrolífera. A FUP destaca que o acordo coletivo de trabalho prevê que demissões coletivas sejam discutidas previamente com o sindicato.

Em 20 dias de paralisação, a FUP afirma que a greve chegou a ao menos 121 unidades da Petrobras, entre elas 58 plataformas. Apesar disso, Castello Branco, disse hoje que “nenhuma gota” deixou de ser produzida, já que a empresa contratou equipes de contingência para manter as atividades.

A paralisação foi parar na Justiça, e decisões do Tribunal Superior do Trabalho e do Supremo Tribunal Federal determinaram que 90% dos profissionais continuassem em suas funções durante a greve. Nesta semana, o ministro do TST Ives Gandra Martins Filho declarou a greve ilegal por não ter cumprido decisões liminares.

Diante da abertura de uma mesa de negociação no TST, que terá início amanhã (21), a FUP indicou ontem (19) a suspensão provisória da greve.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Congresso Congresso Nacional Financeiro Governo

Governo enviará projeto para zerar meta fiscal de estados e municípios

O governo enviará um projeto de lei para zerar a meta fiscal de estados e municípios em 2020, confirmou hoje (20) à noite o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira. Atualmente, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) estipula que os governos locais devam registrar superávit primário de R$ 9 bilhões neste ano.

Com a mudança, a meta fiscal para o setor público – União, estados, municípios e estatais – passou de déficit de R$ 118,9 bilhões para R$ 127,9 bilhões em 2020. A meta para o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central – continua em déficit de R$ 124,1 bilhões. As empresas estatais poderão ter déficit de R$ 3,8 bilhões neste ano, como originalmente previsto.

Segundo Ladeira, o governo optou pela mudança por causa da repartição de R$ 11,73 bilhões dos recursos do excedente da cessão onerosa para estados e municípios, que só ocorreu em 31 de dezembro do ano passado. Como os governos locais não tiveram tempo de gastar o dinheiro em 2019, a execução das despesas em 2020 resultaria, de acordo com o secretário, no descumprimento da meta original da LDO. 

“O projeto da LDO [de 2020] foi encaminhado ao Congresso em 15 de abril, mas, de lá para cá, aconteceram uma série de variáveis, principalmente a cessão onerosa, que tornam inviável o cumprimento da meta pelos estados e municípios. Entrou um grande volume de recursos em 2019. A leitura é que serão gastos em 2020”, explicou o secretário-adjunto. 

Limites 

A mudança precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. Por causa da revisão das metas, o Conselho Monetário Nacional (CMN) reduziu o volume autorizado para que estados, municípios e estatais possam contrair empréstimos no sistema financeiro. O volume autorizado, que era de R$ 24 bilhões em 2018 e de R$ 24,5 bilhões em 2019, caiu para R$ 8,4 bilhões neste ano. 

Segundo Ladeira, a redução ocorreu porque a entrada dos recursos da cessão onerosa, que aumentou o dinheiro em caixa dos estados e dos municípios, reduziu o espaço fiscal para operações de crédito. “Não fosse a cessão onerosa, o limite autorizado para operações de crédito em 2020 provavelmente continuaria o mesmo que o dos anos anteriores”, disse o secretário. Ele reiterou que o limite poderá ser aumentado caso o Congresso aprove a alteração na LDO. 

Do total de R$ 8,4 bilhões autorizado para operações de crédito, R$ 4,5 bilhões correspondem a operações com garantia da União (quando o governo federal compensa eventuais calotes de governos locais), R$ 3,5 bilhões correspondem a operações para estados, municípios e o Distrito Federal sem garantia da União e R$ 400 milhões a operações para estatais federais sem garantia da União

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Justiça

Tragédia de Mariana: Vale pagará US$ 25 milhões a investidores nos EUA

A mineradora Vale fechou um acordo para indenizar em US$ 25 milhões um grupo de investidores da empresa nos Estados Unidos. Eles moviam uma ação judicial na qual reclamaram prejuízos decorrentes de tragédia de Mariana (MG), ocorrida em novembro de 2015. 

No episódio, 19 pessoas morreram e dezenas de cidades na bacia do Rio Doce foram impactadas após o rompimento de uma barragem da mineradora Samarco, que tem a Vale como uma de suas acionistas, juntamente com a anglo-australiana BHP Billiton.

A ação tramita desde 7 de dezembro de 2015 na Corte Federal do Distrito Sul de Nova York. Os investidores estão representados pela Associação de Aposentadoria dos Funcionários de Alameda (Acera) e pelo Sistema de Aposentadoria de Funcionários do Condado de Orange (Ocers). A Vale chegou a se manifestar pedindo a rejeição da denúncia apresentada pelas duas entidades, mas a Justiça manteve a tramitação conforme decisão de março de 2017

Os investidores alegavam que a mineradora fez declarações falsas e enganosas sobre seu negócio e que o rompimento da barragem mostrou que as informações divulgadas sobre os planos, as políticas e os procedimentos para mitigação de riscos não eram corretas. Eles sustentaram que, com tal comportamento, a Vale inflou artificialmente o preço das American Depositary Receipts (ADRs), que despencou após a tragédia de Mariana.

As ADRs são certificados de ações, emitidos por bancos norte-americanos com lastro em títulos de valores mobiliários de empresas estrangeiras. No caso da Vale, esses certificados eram negociados na Bolsas de Valores de Nova York (NYSE).

Acordo

Em dezembro do ano passado, as negociações entre as partes avançaram e ficou acertado o repasse de US$ 25 milhões para encerrar todas das reivindicações dos investidores. Há duas semanas, o acordo foi formalizado e apresentado à corte. 

Em 7 de fevereiro, o juiz Gregory Howard Woods assinou a aprovação preliminar. Haverá ainda uma audiência para análise final. A corte tem a prerrogativa de propor modificações no texto definitivo. A partir daí, todas as pessoas que adquiriram ADRs entre 8 de maio de 2014 e 27 de novembro de 2015 poderão reclamar sua parcela no montante de US$ 25 milhões. Procurada pela Agência Brasil, a Vale informou que “não vai comentar o assunto”.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Justiça

Tragédia de Mariana: Vale pagará US$25 milhões a investidores nos EUA

A mineradora Vale fechou um acordo para indenizar em US$ 25 milhões um grupo de investidores da empresa nos Estados Unidos. Eles moviam uma ação judicial na qual reclamaram prejuízos decorrentes de tragédia de Mariana (MG), ocorrida em novembro de 2015. 

No episódio, 19 pessoas morreram e dezenas de cidades na bacia do Rio Doce foram impactadas após o rompimento de uma barragem da mineradora Samarco, que tem a Vale como uma de suas acionistas, juntamente com a anglo-australiana BHP Billiton.

A ação tramita desde 7 de dezembro de 2015 na Corte Federal do Distrito Sul de Nova York. Os investidores estão representados pela Associação de Aposentadoria dos Funcionários de Alameda (Acera) e pelo Sistema de Aposentadoria de Funcionários do Condado de Orange (Ocers). A Vale chegou a se manifestar pedindo a rejeição da denúncia apresentada pelas duas entidades, mas a Justiça manteve a tramitação conforme decisão de março de 2017

Os investidores alegavam que a mineradora fez declarações falsas e enganosas sobre seu negócio e que o rompimento da barragem mostrou que as informações divulgadas sobre os planos, as políticas e os procedimentos para mitigação de riscos não eram corretas. Eles sustentaram que, com tal comportamento, a Vale inflou artificialmente o preço das American Depositary Receipts (ADRs), que despencou após a tragédia de Mariana.

As ADRs são certificados de ações, emitidos por bancos norte-americanos com lastro em títulos de valores mobiliários de empresas estrangeiras. No caso da Vale, esses certificados eram negociados na Bolsas de Valores de Nova York (NYSE).

Acordo

Em dezembro do ano passado, as negociações entre as partes avançaram e ficou acertado o repasse de US$ 25 milhões para encerrar todas das reivindicações dos investidores. Há duas semanas, o acordo foi formalizado e apresentado à corte. 

Em 7 de fevereiro, o juiz Gregory Howard Woods assinou a aprovação preliminar. Haverá ainda uma audiência para análise final. A corte tem a prerrogativa de propor modificações no texto definitivo. A partir daí, todas as pessoas que adquiriram ADRs entre 8 de maio de 2014 e 27 de novembro de 2015 poderão reclamar sua parcela no montante de US$ 25 milhões. Procurada pela Agência Brasil, a Vale informou que “não vai comentar o assunto”.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Congresso Emprego Governo Justiça Presidente da República

Bolsonaro autoriza envio das Forças Armadas para o Ceará

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira (20) um decreto que autoriza o emprego das Forças Armadas no Ceará, a pedido do governador Camilo Santana. O estado vive uma crise na área de segurança pública, agravada pela paralisação de parte dos policiais militares, que estão amotinados em quarteis e batalhões. Por lei, policiais militares não podem fazer greve. O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União e vale pelo período de 20 a 28 de fevereiro.   

“Acabei de assinar a GLO para Fortaleza [na verdade, para todo o Ceará], o governador preencheu os requisitos”, disse Bolsonaro na porta do Palácio do Alvorada, residência oficial. O presidente aproveitou para pedir que o Congresso aprove o projeto de lei que flexibiliza o conceito de excludente de ilicitude para agentes de segurança durante operações desse tipo.

“Deixo bem claro uma coisa, a gente precisa do Parlamento para que seja aprovado o excludente de ilicitude. A minha consciência fica pesada nesse momento, que tem muitos jovens de 20, 21 anos de idade, que vão estar na missão. Vão cumprir uma missão que se aproxima de uma guerra, e depois, caso venha qualquer problema, podem ser julgados por lei de paz. Temos que dar garantia jurídica, retaguarda jurídica para esses militares das Forças Armadas que estão nessa missão. É irresponsabilidade nós continuarmos fazendo essa operação sem dar a devida garantia para esses integrantes das Forças Armadas”, acrescentou Bolsonaro.

Ontem (19), o senador licenciado Cid Gomes, do Ceará, foi atingido por dois disparos de arma de fogo ao tentar furar um bloqueio feito por policiais grevistas no 3º Batalhão da Polícia Militar de Sobral, cidade a 275 quilômetros de Fortaleza. Depois de realizar uma cirurgia de emergência na cidade, o senador foi transferido para a capital e está fora de perigo.

Em postagem nas redes sociais, o governador Camilo Santana agradeceu a autorização dada pelo presidente da República. “Acabo de receber telefonema do ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos, informando que o presidente acaba de atender a nossa solicitação autorizando o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no estado do Ceará. Já havia sido autorizada também a presença da Força Nacional, aqui no estado, para atuar em conjunto com nossas forças de segurança. Todo o esforço será feito para garantir a proteção dos nossos irmãos e irmãs cearenses. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pelo apoio do Governo Federal neste momento”, publicou Santana. 

Segundo o decreto de GLO, caberá ao ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, definir o comando responsável pela operação e alocação dos militares no estado.

Força Nacional 

Além das Forças Armadas, um grupo de agentes da Força Nacional de Segurança Pública embarcou para Fortaleza nesta quinta-feira. O envio da Força Nacional ao Ceará foi determinado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, após solicitação do governador Camilo Santana em meio à crise de segurança no estado. 

Inicialmente, eles ficarão no estado por 30 dias. A portaria, autorizando a medida, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (20). Em 2019, o governo federal já havia enviado a Força Nacional para conter uma onda de violência no estado nordestino. 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Financeiro Política

Dólar ultrapassa R$ 4,39 e atinge novo recorde desde a criação do real

Em alta pelo quarto dia seguido, o dólar voltou a fechar no maior valor nominal desde a criação do real. Nesta quinta-feira (20), o dólar comercial encerrou a sessão vendido a R$ 4,392, com alta de R$ 0,026 (+0,59%).

A divisa operou em alta durante toda a sessão. Na máxima do dia, por volta das 13h30, a cotação chegou a atingir R$ 4,397. Desde o começo do ano, o dólar acumula valorização de 9,44%. O euro comercial fechou o dia vendido a R$ 4,74, com alta de 0,44%.

O Banco Central (BC) não tomou novas medidas para segurar a cotação. Hoje, a autoridade monetária leiloou US$ 650 milhões para rolar (renovar) contratos de swap cambial – que equivalem à venda de dólares no mercado futuro – com vencimento em abril. O leilão faz parte da rolagem de US$ 13 bilhões de swap que venceriam daqui a dois meses.

No mercado de ações, o dia também caracterizou-se pela turbulência. O índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou esta quinta-feira aos 114.586 pontos, com recuo de 1,66%. O indicador começou o dia perto da estabilidade, mas passou a cair ainda durante a manhã.

Nas últimas semanas, o mercado financeiro em todo o mundo tem atravessado turbulências em meio ao receio do impacto do coronavírus sobre a economia global. A interrupção da produção em diversas indústrias da China está afetando as cadeias internacionais de produção. Indústrias de diversos países, inclusive do Brasil, sofrem com a falta de matéria-prima para fabricarem e montarem produtos.

A desaceleração da China também pode fazer o país asiático consumir menos insumos, minérios e produtos agropecuários brasileiros. Uma eventual redução das exportações para o principal parceiro comercial do Brasil reduz a entrada de dólares, pressionando a cotação.

Entre os fatores domésticos que têm provocado a valorização do dólar, está a decisão recente do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic – juros básicos – para 4,25% ao ano, o menor nível da história. Juros mais baixos desestimulam a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, também puxando a cotação para cima.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Nota

Corpo de Bombeiros libera Sambódromo para desfiles no Rio de Janeiro

O Sambódromo do Rio de Janeiro está liberado para os desfiles das escolas de samba no carnaval. Em vistoria, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) avaliou a presença de itens obrigatórios em estruturas provisórias e concluiu que o local está em conformidade no que diz respeito à segurança contra incêndio e pânico.

A vistoria que estava marcada para hoje (20), foi antecipada para essa quarta-feira. Segundo o Corpo de Bombeiros, a antecipação ocorreu devido a conclusão das instalações temporárias no Sambódromo. 

A vistoria era a última etapa para a liberação dos desfiles no local. Ela foi feita depois da conclusão de obras de recuperação estrutural e de melhoria da iluminação, demandadas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e pelo Corpo de Bombeiros.

O CBMERJ disse, em nota, que encaminharia a autorização para a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) e para a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa). 

Reforma

Os trabalhos começaram em novembro do ano passado. A reforma, no valor de R$ 8,1 milhões, está sendo custeada pelo Ministério do Turismo.

As saídas ganharam novas escadas, as arquibancadas receberam reforço no concreto e foi feita pintura em 36 mil metros quadrados. Uma segunda fase das obras, com intervenções mais complexas, está prevista para depois do carnaval. A Riotur estima investimentos que variam entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões, e se movimenta em busca de parcerias públicas e privadas.

Localizado na Avenida Marquês de Sapucaí, na zona central da cidade do Rio de Janeiro, o Sambódromo foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurado em 1984. 

Neste ano, a Passarela do Samba recebe os desfiles de 43 agremiações entre as escolas de samba do Grupo Especial, da Série A e das Escolas Mirins, que devem reunir cerca de 500 mil pessoas, de acordo com a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Criança Saúde

Brasil tem apenas um caso suspeito do coronavírus

O Brasil tem, atualmente, apenas um caso suspeito do novo coronavírus (Covid-19). Trata-se de uma criança de 2 anos de idade, em São Paulo, considerada suspeita desde ontem (19) por ter um histórico de viagem à China, mas não à Wuhan, o epicentro da contaminação. A informação foi dada por representantes do Ministério da Saúde, na tarde de hoje (20), em Brasília.

O ministério, no entanto, continua atento ao surto ocorrido na China e trabalha com a possibilidade de aumento dos casos suspeitos, principalmente a partir do final de abril, quando as doenças respiratórias começam a aparecer no país.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, existe uma série de circunstâncias que freiam o aparecimento de vários casos suspeitos, como a quarentena imposta na China, o fato do Brasil estar no verão e não termos voos diretos para aquele país. Mas um aumento não é descartado.

“Não quer dizer que não possa aumentar. Podemos ter mudanças de definição de casos no futuro se um outro país entrar como área e transmissão ocidental. É muito dinâmico e prematuro dizer que vai continuar baixo”, disse.

Segundo o ministério, os exames têm sido feitos com maior celeridade e, com isso, casos considerados suspeitos são descartados rapidamente e sequer entram no balanço diário da pasta.

Ainda não existe nenhum caso confirmado na América do Sul. Até o momento, 75.778 casos foram contabilizados no mundo, conforme dados da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos. Só a China reúne 74,5 mil casos.

Curas e idosos

O Ministério da Saúde tem acompanhado o crescente número de pessoas curadas, sobretudo na China. Atualmente, são 16.882 curados. Segundo o Wanderson de Oliveira, tratamentos específicos têm sido testados, mas as curas estão ocorrendo “de forma espontânea”.

“Essas curas estão ocorrendo, quase que a totalidade delas, de forma espontânea. É o organismo da pessoa. Mais de 80% dos casos na China são de moderados a leve. Isso não quer dizer que foi um tratamento específico que curou aquelas pessoas e sim o tratamento sintomático, o isolamento, [o uso de] respiradores, ou seja, toda uma conduta para evitar que essas pessoas evoluíssem para casos graves e óbitos”.

Outra tendência verificada é a letalidade maior em idosos. Se em crianças e adultos até cerca de 40 anos de idade o número de mortes beira o zero, a partir de 60 anos de idade essa curva aumenta rapidamente, chegando a 15% de mortes entre pessoas de 80 anos de idade. “Os casos graves e de óbito na China estão totalmente concentrados em pessoas acima de 60 anos de idade. Isso é importante para nós nos prepararmos para o caso de haver a situação do vírus no Brasil. A nossa preocupação terá que ser preferencialmente os idosos”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Emprego Governo Justiça Tribunal

Roberto Barroso nega transferência de líder do PCC de Brasília

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso negou, hoje (20), o pedido do governo do Distrito Federal para proibir a transferência de líderes de facções criminosas para o Presídio Federal de Brasília.

O pedido foi feito na semana passada pelo governador Ibaneis Rocha. No dia 22 de março de 2019, quatro líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram transferidos da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, para a Penitenciária Federal em Brasília, perto do Presídio da Papuda. Além de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, integram o grupo Cláudio Barbará da Silva, Patrik Wellinton Salomão, e Pedro Luiz da Silva Moraes, o Chacal.

O governo do DF argumentou que a manutenção de líderes de facções em Brasília prejudica a segurança da população local e coloca em risco “as mais altas autoridades da República e as representações diplomáticas estrangeiras”.

Ao analisar a questão, Barroso entendeu que não há ilegalidade na transferência de presos para presídios federais. Além disso, uma nova transferência do líder do PCC para outro presídio poderia fomentar uma operação de resgate e colocar em risco agentes de segurança e a população.

O ministro disse que há risco de danos econômicos com a transferência. “Como aponta a União, a transferência de presos, sobretudo daqueles que possuem alta periculosidade, pressupõe logística especial. Realizar a retirada dos presos para, eventualmente, trazê-los de volta ao fim da ação implicará um alto custo econômico”, entendeu o ministro.

Em 7 de fevereiro, militares das Forças Armadas reforçaram a segurança do Presídio Federal em Brasília. O emprego das Forças Armadas, na operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), para proteger o perímetro do presídio de segurança máxima foi pedido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e autorizado por meio do Decreto nº 10.233.

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a ação tem caráter preventivo e se soma a uma série de medidas conjuntas que vêm sendo adotadas para “manter elevado nível de segurança do local onde estão isolados integrantes de organizações criminosas”. A medida terá validade até 6 de maio.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

2ª Guerra: histórica tomada de Monte Castello completa 75 anos

O dia 21 de fevereiro de 1945 marcou a participação dos militares brasileiros na 2ª Guerra Mundial. A data refere-se à Tomada de Monte Castello, um objetivo estratégico contra o Exército alemão, a fim de garantir a evolução dos Aliados para o Norte da Itália. Não foi uma tarefa fácil.

Antes, os brasileiros já haviam tentado obter êxito nos dias 24, 25 e 29 de novembro, e também em 12 de dezembro de 1944. Além da artilharia inimiga do alto da montanha, os brasileiros enfrentaram o inverno rigoroso na Europa.

Setenta e cinco anos após aquele episódio, ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) lembram em detalhes aqueles momentos, como o então cabo Vasco Duarte Ferreira, que tinha apenas 20 anos de idade quando foi para o front de batalha. Ele atuou como radiotelegrafista. “Era uma montanha sobre uma outra montanha. Eu carregava o equipamento que pesava mais de 10 quilos com uma antena de mais de três metros”, diz o pracinha às vésperas de completar 96 anos de idade.

Confira essa e outras histórias sobre a Tomada de Monte Castello no especial  Vitória no inverno: os 75 anos da Tomada de Monte Castello.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Internet Justiça Tribunal

Ministros do STF criticam paralisação de policiais do Ceará

Dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) criticaram hoje (20) o movimento grevista iniciado por policiais militares do Ceará. Os policiais realizam a paralisação em busca de aumento de salário.

Ao chegar para participar da sessão desta tarde na Corte, Alexandre de Moraes afirmou que a greve é “ilegal e inadmissível”. Antes de ser nomeado para o STF, o ministro foi secretário de Segurança de São Paulo e ministro da Justiça.

“Como se pode disparar tiros a esmo, podia ter sido um morticínio gigantesco. É ilegal e tem que ter consequências tanto na Justiça comum quanto na criminal”, disse.

Ricardo Lewandowski também afirmou que a greve não tem amparo legal. “Como ministro do Supremo Tribunal Federal, acho que é extremamente preocupante uma greve de policiais militares ou qualquer corporação armada. É constitucionalmente vedado que corporações armadas façam greve”, afirmou.

Ontem (19), o senador Cid Gomes, atualmente licenciado de suas funções parlamentares, foi baleado na cidade de Sobral, no Ceará.

Cid era contrário a um movimento de policiais militares que faziam uma paralisação. Segundo imagens feitas no local e divulgadas na internet, o senador licenciado tentou entrar em um batalhão da polícia, que estava com os portões fechados, dirigindo uma retroescavadeira. Do outro lado do portão havia dezenas de policiais encapuzados. Desse grupo teriam partido dois tiros que acertaram Cid.

Greve proibida

Em 2017, o plenário do STF decidiu que todos os servidores que atuam diretamente na área de segurança pública não podem exercer o direito de greve, sob qualquer forma ou modalidade, por desempenharem atividade essencial à manutenção da ordem pública.

Pela tese aprovada, ficou vetado o direito de greve de policiais civis, federais, rodoviários federais e integrantes do Corpo de Bombeiros, entre outras carreiras ligadas diretamente à segurança pública. Essas carreiras, no entanto, mantêm o direito de se associar a sindicatos.

Força Nacional

Um grupo de militares da Força Nacional de Segurança Pública embarcou na manhã de hoje do Aeroporto Internacional de Brasília com destino ao estado do Ceará. O avião da Polícia Federal transportando os militares decolou às 8h. Um segundo grupo embarca às 15h, devendo chegar na capital cearense às 17h45.

O envio da Força Nacional ao Ceará foi determinado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, após solicitação do governador Camilo Santana. A portaria, autorizando a medida, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (20).

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Nota Tribunal

Greve não impacta preço dos combustíveis, diz Petrobras

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse hoje (20) que não há qualquer relação entre a greve dos petroleiros e o preço dos combustíveis no país. O executivo concedeu entrevista coletiva ao lado de diretores da companhia para comentar os resultados financeiros da estatal, apresentados na noite de ontem (20).

“Não há relação nenhuma [entre greve e preço de combustíveis]. O preço da gasolina subiu simplesmente porque os preços internacionais traduzidos em reais subiram”, disse Castello Branco, que afirmou que não existe risco de desabastecimento, já que a empresa vem contratando equipes de contingência. “Não houve perda de uma gota de produção que queríamos realizar.”

tnrgo_161219_dsc18554720
O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, descartou qualquer relação entre a greve dos petroleiros e o aumento do preço dos combustíveis  – Tânia Rêgo/Arquivo Agência Brasil

 

Castello Branco também argumentou que o mercado de combustíveis é aberto, e que as importações têm condições de abastecer o mercado. “Estamos preparados para enfrentar uma longa greve, tendo gente profissional, de alta qualidade e qualificada para operar tanto as plataformas como as refinarias.”

Apesar disso, o diretor de relações institucionais da estatal, Roberto Ardenghy, disse que a empresa tem uma expectativa positiva para a reunião de amanhã com representantes dos petroleiros, no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Segundo ele, uma das pré-condições para o diálogo é o encerramento da greve, e a empresa está reunindo informações para conferir se essa exigência será cumprida. 

Em nota divulgada hoje (20), o Conselho Deliberativo da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e as direções sindicais de todo o país indicaram a suspensão provisória da greve. O indicativo destaca ainda que a greve será retomada, caso não haja avanços na mediação feita pelo tribunal.

Paralisação 

A manutenção dos empregos na Araucária Nitrogenados (Ansa), que pertence à Petrobras e deve ser fechada, é uma das pautas da greve dos petroleiros, que também cobra o cumprimento do acordo coletivo de trabalho. A FUP contabiliza que o fechamento da Araucária Nitrogenados (Ansa) vai significar a demissão de cerca de mil pessoas.

“Com relação aos funcionários da Ansa, estamos oferecendo um pacote bem competitivo em termos de desligamento, oferecendo não só uma indenização reforçada, mas assistência médica, assistência educacional e um programa de requalificação profissional”, disse Ardenghy.

O presidente da estatal detalhou que, por parte da Petrobras, serão 396 demissões. “O restante pertence a empresas que fornecem mão de obra. Elas podem não necessariamente demitir seus empregados e podem absorver em outras atividades”, disse ele, que afirmou que a fábrica de fertilizantes trazia prejuízos a estatal desde que foi comprada e será fechada porque não despertou o interesse de investidores.

Castello Branco criticou ainda pessoas que teriam ameaçado um aposentado da estatal que se dispôs a trabalhar nas equipes de contingência. Segundo o presidente da Petrobras, o aposentado e sua família foram assediados no prédio em que moram. O executivo disse que ligou para ele: “Mostrei nosso repúdio a essas atividades que consideramos terrorista e oferecemos proteção a ele e a sua família”.

Dívida

Ao longo do ano de 2019, a Petrobras reduziu seu endividamento em 24 bilhões de dólares, dado que recebeu destaque do presidente da empresa durante a coletiva. “É muito dinheiro para qualquer companhia”, afirmou ele, que justificou que a grande dificuldade de reduzir a dívida é seu tamanho, que supera 80 bilhões de dólares.

Castello Branco destacou que, com os desinvestimentos, a empresa não busca ser menor, mas melhor, com a concentração dos recursos em ativos de maior valor. “Se não tivéssemos desinvestido, não teríamos capacidade financeira de ir para o Leilão de Excedentes de Cessão Onerosa e comprar um ativo tão maravilhoso quanto [o campo de] Búzios”, disse se referindo à aquisição dos excedentes do campo, que foi o mais caro do leilão realizado no ano passado.

Os executivos da Petrobras também comentaram sobre possíveis impactos do novo coronavírus, epidemia que tem como epicentro a China, o principal comprador do petróleo brasileiro. A diretora de refino e gás natural, Anelise Lara, disse que a China reduziu sua demanda por petróleo devido à crise, mas esse patamar deve ser recuperado.

“A gente acredita que a exportação para a China vai continuar forte. É claro que podem haver reduções de demanda pontuais, como agora”, disse a diretora, que contou que a empresa vem buscando aumentar suas exportações para a Europa, os Estados Unidos e a Índia.

Apesar dessa queda de demanda no país asiático, a Petrobras afirma que ainda não sentiu o efeito no volume de vendas. “Não teve efeito nas quantidades, mas teve efeito nos preços, evidentemente, porque os mercados antecipam os efeitos na atividade econômica”, disse Castello Branco, que acredita que a queda de preços vai se refletir nos resultados do primeiro trimestre, o que considerou prematuro quantificar.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Saúde

Bloco Loucura Suburbana completa 20 anos de desfile no Rio

O financiamento coletivo só termina amanhã (21), mas mesmo com pouco mais de 70% da meta alcançados até agora, o bloco Loucura Suburbana, formado por pacientes e profissionais da rede municipal de saúde mental do Rio de Janeiro, sai às ruas do Engenho de Dentro hoje (20) para comemorar 20 anos de existência.

A meta do financiamento coletivo é atingir R$ 12,5 mil e ontem (19) havia recolhido quase R$ 10 mil, informou à Agência Brasil a psicóloga Ariadne Mendes, do Instituto Municipal Nise da Silveira, fundadora e coordenadora da agremiação, que ela define como “anárquica e irreverente”.

O enredo do bloco, este ano, é respeito à diversidade, à liberdade e às características do bloco, que são acolhimento e alegria. O enredo presta homenagem também à Amazônia na roupa da porta-bandeira Elizama Arnaud. Primeiro bloco a unir folia e saúde mental, o Loucura Suburbana desfila no ritmo da bateria “A Insandecida”, integrada por usuários atendidos na rede municipal e ritmistas parceiros.

O samba enredo deste ano é “Loucura que Afeta Todos Nós”, de autoria de Michel Indiano, parente de usuário do Instituto Nise da Silveira. O samba foi composto na Oficina Livre de Música, que pertence ao ponto de saúde Loucura Suburbana, que ajuda os pacientes e familiares a compor sambas. São esperadas este ano entre 500 e mil pessoas no desfile, que abre o carnaval de rua do bairro, situado na zona norte da cidade.

Bonecos gigantes

Ariadne disse que a novidade deste ano é a participação dos bonecos do Germano, bicheiro do jogo do bicho e famoso morador do Engenho de Dentro, criador de bonecos gigantes que saíam pelas ruas do bairro em um bloco particular: o Bloco do Germano. E havia pessoas que disputavam “vestir” os bonecos.

Em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc Engenho de Dentro), o Loucura Suburbana conseguiu montar uma oficina para confecção de bonecos que começou a funcionar no último dia 13, com o mestre de bonecos Célio Mattos e o artista visual Otávio Avancini.

“Quatro (bonecos) estavam expostos no Sesc e vieram (para o Instituto Nise da Silveira) para participar do bloco. Era um sonho meu que ganhou força à medida em que o bloco começou a crescer e a se integrar na comunidade”, disse Ariadne. Participam do bloco do Loucura hoje os bonecos Diabo, Nega Fulô, Palhaço e Germano, aos quais se juntará o boneco Raoni, criado na oficina, em homenagem aos indígenas brasileiros. “Essa é a novidade”, comemorou Ariadne Mendes.

Fantasias

Segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde do Rio, o Loucura Suburbana tem um ateliê próprio, dentro do Instituto Nise da Silveira, para confeccionar as fantasias dos pacientes foliões, além de um barracão, onde fantasias doadas por componentes de escolas de samba são reaproveitadas, customizadas e oferecidas gratuitamente às pessoas que queiram desfilar. O bloco oferece também maquiagem para quem quiser ficar mais bonito para o desfile.

“O trabalho terapêutico baseado no carnaval acontece ao longo do ano, com os usuários participando de oficinas de confecção de adereços e estandartes, ensaios de bateria e oficinas livres de música, que ajuda compositores na criação e arranjos dos sambas para o bloco. A convivência cultural e social faz parte de uma prática que defende o acolhimento inclusivo a pacientes com distúrbios mentais, sem encarceramento ou isolamento da sociedade”, explicou a secretaria, por meio de sua assessoria de imprensa.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Aviso Brasil

Defesa Civil emite alerta para chuvas no estado de São Paulo

A região metropolitana de São Paulo deve receber entre 90 milímetros (mm) e 140 mm de chuvas de hoje (20) para amanhã (21), segundo alerta da Defesa Civil estadual. Um volume semelhante também deve atingir as regiões do Vale do Ribeira, Baixada Santista, Sorocaba e Itapeva.

Deve chover forte, apesar de com menos intensidade, no litoral norte, em Marília, Campinas, Bauru, Araçatuba, Presidente Prudente e Vale do Paraíba, onde estão previstos cerca de 75 mm de precipitação.

Alerta

A prefeitura de São Paulo emitiu um alerta para o potencial de estragos que o grande volume de chuvas pode trazer para a cidade. Segundo o aviso, há o risco de transbordamento de rios e córregos e alagamentos em vias da cidade. Como o solo está encharcado pelas chuvas constantes dos últimos dias, pode haver ainda deslizamentos de terra em áreas de risco.

A instabilidade é causada por uma frente fria que chegou ao estado.

Chuvas

Do dia 9 para o 10 de fevereiro, a capital paulista recebeu 114 mm de chuvas. Os temporais causaram fortes transtornos, com o registro de 160 pontos de alagamento por toda a cidade. O Corpo de Bombeiros recebeu mais de mil chamados de pessoas ilhadas pelas enchentes ou afetadas por deslizamentos de terra. Em todo o estado, ao menos 516 pessoas ficaram desalojadas e 142 desabrigadas.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo recomenda que as pessoas evitem transitar por áreas alagadas e que busquem abrigo em casas ou prédios. Também é importante ficar longe da rede elétrica ou de árvores. Caso seja necessário, deve se solicitar ajuda a órgãos competentes, como o Corpo de Bombeiros.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Aeroportos do Rio esperam receber quase 480 mil pessoas no carnaval

Os aeroportos do Rio de Janeiro esperam receber quase 480 mil pessoas durante o período de carnaval. O Aeroporto Santos Dumont estima que circulem por lá 219,7 mil passageiros nesses dias. O número representa crescimento de 42% em relação à movimentação no carnaval do ano passado, entre 1º e 7 de março, quando foram contabilizados 154.676 viajantes. O volume de operações também deve ser superior, pois são esperados 1.815 voos, ante os 1.413 registrados em 2019.

O RIOgaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim deve receber cerca de 260 mil viajantes de amanhã (21) até quinta-feira (27). Destes, 160.242 são passageiros domésticos e 99.125, internacionais. Os dias de pico serão esta sexta-feira, com expectativa de movimentação de 42,9 mil passageiros, e a Quarta-Feira de Cinzas (26), quando 42,8 mil passageiros devem passar pelo terminal aéreo.

905681-passageiros_rodoviaria_feriado carnaval_4134.jpg
Pela Rodoviária NovoRio, deverão passar mais de 520 mil pessoas neste carnaval – Arquivo/Agência Brasil

Pela Rodoviária Novo Rio, devem passar mais de 520 mil pessoas no período de carnaval. Somente nesta sexta-feira, são esperados 67.900 passageiros (39.400 embarcando e 28.500 chegando ao Rio). De sexta até 2 de março, além da frota de quase 18 mil ônibus para atender à demanda, a rodoviária contará com uma operação especial que prevê reforço da segurança patrimonial, aumento do efetivo de atendimento ao cliente, limpeza e manutenção e de agentes e fiscais de pista para organização da entrada e saída de ônibus.

Ponte Rio-Niterói

Após inaugurar a alça de ligação da Ponte Rio-Niterói com a Linha Vermelha, a concessionária Ecoponte estima a passagem de cerca de 1,9 milhão de veículos na ponte durante o carnaval.

A previsão é que o período de maior movimento ocorra até o dia 2 de março.

Para os que seguem em direção à Região dos Lagos, o período de maior tráfego começou quarta-feira (19) e vai até este sábado (22), com aproximadamente 382 mil veículos passando pela ponte. Para a volta, cerca de 180 mil veículos seguirão no sentido Rio na Quarta-Feira de Cinzas (26) e na quinta-feira (27). No dia 2 de março, a estimativa é que cerca de 78 mil veículos ainda retornem ao Rio.

Via Dutra

A CCR NovaDutra informou que, no trecho paulista da rodovia, o tráfego deverá ficar intenso entre as 19h e as 21h desta sexta-feira e entre as 7h e as 12h de sábado. No retorno, o tráfego deve ser maior na quarta-feira (26), das 9h às 13h. No trecho fluminense, a previsão é de tráfego intenso entre as 9h e as 22h desta sexta-feira e entre as 7h e as 19h de sábado (22). No retorno, o tráfego deve ser mais intenso na quarta-feira (26), das 10h às 22h.

Pelas previsões, deverão  deixar São Paulo pela Via Dutra mais de 285 mil veículos, entre a zero hora de hoje e a meia-noite de sábado. No mesmo período, deverão deixar o Rio de Janeiro pela Via Dutra em torno de 178 mil veículos.

A CCR NovaDutra alerta os motoristas que, para maior conforto, evitem trafegar na terça-feira (25), das 16h às 20h, e na quarta-feira (26), das 7h às 13h, período em que aumenta o volume de veículos na rodovia.

ViaLagos

A CCR ViaLagos informou que mais de 450 mil veículos deverão passar pela rodovia até o dia 2 de março, sendo a sexta e o sábado os dias de maior fluxo no sentido Região dos Lagos, com expectativa de passagem de 45 mil e 52 mil veículos, respectivamente.

A volta para casa começará na terça-feira (25), com a estimativa de passagem de 41 mil veículos, mas o dia de maior fluxo em direção ao Rio deverá ser a Quarta-Feira de Cinzas (26), quando são esperados 49 mil veículos. A previsão é que a quinta-feira (27) também seja de fluxo intenso, com a previsão de 38 mil veículos e a movimentação de volta para casa se estenderá até o dia 2 de março.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Congresso Governo

Manter arrecadação é princípio da reforma tributária, diz secretário

O governo federal quer manter o atual nível de arrecadação da União, estados e municípios, ao fazer a reforma tributária, segundo afirmou o Secretário Especial da Receita, José Barroso Tostes Neto, após participar de reunião com secretários estaduais de Fazenda, no Ministério da Economia, em Brasília.

“Temos por princípio que todos os três níveis de governo [União, estados e municípios] mantenham seus níveis de arrecadação atual. Mas isso não impede que nós possamos compartilhar bases, e sobretudo convergir para uma estrutura de sistema tributário em que a cooperação federativa seja mais frequente”, disse.

Segundo o secretário, a reunião teve o objetivo de buscar convergência para que União, estados e municípios possam ter uma proposta consensual para a reforma tributária. “Nós apenas identificamos quais pontos que precisarão ser aprofundados e aí sim, vamos discutir de que forma vamos convergir para uma proposta que seja consensual”, disse Tostes.

Estados

O presidente do Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz), o secretário de Fazenda do Piauí, Rafael Tajra Fonteles, disse que a reunião teve por objetivo apresentar a Tostes a proposta dos estados e ver como é possível convergir para uma proposta com participação do governo federal. “A gente já sabe quais são os pontos que precisam de um aprofundamento maior para poder caminhar: comitê gestor [responsável por administrar e definir alíquota do novo imposto único sobre Valor Agregado (IVA)]; qual funding [fonte de recursos] para o fundo de desenvolvimento regional e de compensação [para os estados] de perdas com as exportações; como seria a arrecadação centralizada. A ideia é fazer uma reunião por semana, pelo menos, para dentro do mês de março apresentar para o ministro [da Economia], Paulo Guedes, os pontos de convergência”, disse. Na proposta dos estados, a União não participará do comitê gestor.

Comissão mista da reforma tributária

Ontem (19), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, instalou a comissão mista especial que discutirá a reforma tributária. A primeira reunião da comissão ocorrerá logo após o carnaval, de acordo com seu presidente, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Serão 45 dias para que os 50 parlamentares cheguem a uma proposta única, utilizando elementos de textos já existentes na Câmara dos Deputados e no Senado sobre o assunto.

O governo federal quer contribuir com a reforma, começando pela tributação sobre o consumo com a criação do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) federal, em substituição ao PIS/Cofins. “Está indo super bem. Estamos mandando um IVA dual. Eles [os estados], por sua vez, têm as propostas de como fazer a deles. Vamos mandar a nossa, mas acoplável [ao que está em tramitação no Congresso]”, disse Guedes, no último dia 12.

De acordo com Fonteles, os secretários estaduais e o Ministério da Economia vão estudar uma proposta convergente, em paralelo aos trabalhos da comissão. “Em até 45 dias, vamos apresentar uma proposta convergente [para a comissão], aproveitando esse prazo da comissão também”, disse.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil

Fernando Miguel valoriza empate de Vasco com Oriente Petrolero

Bola na área aos 52 minutos do segundo tempo. Bueno recebe livre pela esquerda, entra cara a cara com Fernando Miguel, ajeita o corpo para bater de direita e explode a bola no travessão. Fim de jogo, e empate em 0 a 0 do Vasco com Oriente Petrolero. Com isso, o time da colina se classificou, na última quarta (20), para a segunda fase da Copa Sul-Americana. O aperto no último lance da partida assustou o torcedor cruzmaltino. Se a equipe boliviana marcasse, a decisão iria para os pênaltis. Porém, o jogo não foi dominado pelos adversários.

O Vasco até que se defendeu bem e só sofreu dois sustos durante os 90 minutos. Além disso, perdeu ótimas oportunidades de abrir o placar. Esbarrou na boa atuação do goleiro Banegas, na ineficiência do ataque, em uma grande dificuldade de criação dos jogadores do meio de campo e também no travessão em chute de Talles Magno.

O confronto foi equilibrado. Não houve um time soberano em campo e o nervosismo deu o tom da disputa. No fim, sobressaiu a melhor técnica do Vasco diante de uma equipe com muitas dificuldades para propor jogo.

Marrony, do Vasco da Gama, enfrenta Oriente Petrolero pela Copa Sul-Americana
Atacante Marrony em ação no empate do Vasco com Oriente Petrolero – Rafael Ribeiro/Vasco da Gama/Direitos Reservados

Segundo o goleiro Fernando Miguel, a classificação foi merecida: “Sabíamos que o jogo aqui ia ser difícil. A equipe do Oriente demonstrou uma organização tática muito importante lá no Brasil. Nós viemos sabendo das dificuldades que encontraríamos. Alternamos momentos em que controlávamos e que o Oriente controlava algumas ações. Fazendo a leitura dos 180 minutos, creio que fomos superiores pelo volume de oportunidades que criamos tanto no Brasil quanto na Bolívia. Estamos felizes, contentes. Felizes por mais uma vez não tomar gol, pela quantidade de oportunidades que criamos. Nossa equipe vem criando muitas oportunidades, é importante ressaltar e valorizar isso. É início de temporada e precisamos valorizar a intensidade que uma decisão de Copa Sul-Americana merece. Não é porque em alguns momentos a equipe do Oriente foi superior que nós vamos sair daqui incomodados ou aborrecidos com alguma coisa. Vamos valorizar nossa classificação porque o Oriente também valorizou essa nossa passagem de fase”.

Sobre a bola no último lance da partida, o goleiro vascaíno minimizou o risco: “Decisões são assim. Por vezes você sofre, corre riscos e em momento algum a equipe do Oriente foi no Brasil para se defender e em todo tempo aqui ela acreditou e lutou até o final. Sofremos em alguns momentos, mas conseguimos não sofrer o gol. Acredito que se tivéssemos um pouquinho mais de tranquilidade nas últimas bolas as coisas não se arrastariam até o último minuto e teríamos uma classificação um pouco mais tranquila”.

Apesar da classificação, o Vasco teve o que lamentar. O volante Juninho foi vítima de insultos racistas durante a partida. Ricardo Graça e Alexander se levantaram do banco de reservas para reclamar e avisar ao juiz, e o zagueiro acabou recebendo cartão amarelo do árbitro José Argote, da Venezuela.

Em comunicado oficial, o diretor executivo de futebol André Mazzuco informou que tomou os procedimentos cabíveis de relatar diretamente à arbitragem e ao delegado da partida. De acordo com Mazzuco, o clube vai aguardar a súmula e todos os processos que precisam ser realizados, além de solicitar revisão do cartão amarelo dado a Ricardo Graça.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br