Categorias
Brasil

Senado aprova regulamentação da profissão de historiador

O Senado aprovou hoje (18) a regulamentação da profissão de historiador. De autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), o projeto foi apresentado em 2009 e sofreu alterações na Câmara dos Deputados, retornando ao Senado, onde foi aprovado. Agora, o projeto segue para sanção presidencial.

Segundo o texto aprovado, poderá exercer a atividade de historiador quem tiver diploma de curso superior, mestrado ou doutorado em história; diploma de mestrado ou doutorado obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com linha de pesquisa dedicada à história; e profissionais diplomados em outras áreas que comprovarem ter exercido a profissão de historiador por mais de cinco anos a contar da data da promulgação da futura lei.

Entre as atribuições dos historiadores, o texto prevê a docência da disciplina de história nas escolas de ensino fundamental e médio. O profissional poderá ainda planejar, organizar, implantar e dirigir serviços de pesquisa histórica; assessorar, organizar, implantar e dirigir serviços de documentação e informação histórica. Ele também poderá elaborar pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos e trabalhos sobre temas históricos.

Registro profissional

O projeto exige registro profissional junto à autoridade trabalhista competente. Já as entidades que prestam serviços em história deverão manter historiadores legalmente habilitados em seu quadro de pessoal ou em regime de contrato para prestação de serviços.

*Com informações da Agência Senado

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Congresso Governo Tecnologia

Tereza Cristina defende aprovação da MP da Regularização Fundiária

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, defendeu a aprovação da Medida Provisória (MP) 910/2019, que estabelece novos critérios para a regularização fundiária de imóveis da União e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Em audiência pública realizada na tarde de hoje (18) para debater o tema, a ministra disse que a MP, publicada em dezembro do ano passado, beneficiará os pequenos produtores que não têm título de propriedade da terra. “Esse assunto mexe com a vida de pequenos produtores rurais no Brasil todo. É uma declaração, claro. Porque, se eu tenho uma posse, eu tenho que apresentar uma documentação, e aí começa todo o processo”.

Tereza Cristina ressaltou que a região amazônica será a mais beneficiada com a medida proposta pelo governo.

Segundo a ministra, a MP vai garantir aos pequenos produtores chance de ter o título de propriedade das terras que já ocupam e, com isso, o direito a fazer financiamentos e capacitações, dentre outros benefícios oferecidos pelo governo. Além disso, a nova legislação leva em consideração a parte ambiental e trabalhista, destacou Tereza Cristina. “Nada disso está sendo excluído nessa MP.”

Desmatamento

A audiência pública foi promovida pela Comissão Mista da Medida Provisória e também recebeu o professor Sérgio Sauer, da Universidade de Brasília (UnB).

Na opinião de Sauer, o texto apresentado pelo governo não dá garantias suficientes de que o meio ambiente será preservado e, mais do que isso, de que não haverá conflitos fundiários. “Olhando os dados, a MP tende a aumentar o desmatamento. Uma das formas que os agricultores têm de demonstrar sua ocupação é exatamente desmatando. E todas essas sobreposições tendem a aprofundar os conflitos fundiários.”

A sobreposição seria a tentativa de comprovação de uma mesma área por dois supostos donos. Isso foi destacado pelo professor Girolamo Domenico, da Universidade Federal do Pará. Domenico enfatizou a incidência de sobreposição de Cadastros Ambientais Rurais (CAR) de empresas e de terceiros e manifestou preocupação com as comunidades tradicionais, apesar de elas não serem atingidas pela MP. “Nos últimos anos, as populações tradicionais da Amazônia foram alvo de conflitos.”

Vistoria remota

Tereza Cristina afirmou que a ausência de vistoria presencial será substituída por tecnologia para acelerar o processo de regularização. “Vamos fazer a vistoria remota. E não quer dizer que todo mundo vai passar na vistoria. Vamos usar a tecnologia, porque, se continuarmos no ritmo de hoje, vão passar mais 400 anos, e a gente não vai conseguir regularizar esses títulos. Vamos usar tecnologia sem precarizar.”

Na avaliação do Ministério da Agricultura, as novas regras modernizam e simplificam o processo para titulação definitiva ao assentado e devem beneficiar cerca de 300 mil famílias instaladas em terras da União há pelo menos cinco anos. A prioridade do governo é beneficiar os assentados pela reforma agrária. Apenas 5% dos 9,4 mil assentamentos foram consolidados e só 6% das famílias receberam os títulos da terra.

A ministra negou que a medida vá facilitar a grilagem de terras. “Essa medida pode tornar lícitas as ocupações já existentes e, ao contrário do que dizem, vai combater a grilagem. Porque as pessoas terão que comprovar [a ocupação mansa e pacífica há muitos anos].”

Após a análise da comissão mista, a MP segue para votação na Câmara dos Deputados e, caso seja aprovada, vai para apreciação no Senado.

A partir do dia 6 de março, a medida provisória tramitará em regime de urgência, sobrestando todas as demais deliberações legislativas da Casa em que estiver tramitando. O texto precisa ser aprovada pelo Congresso em até 120 dias a contar da data de edição, neste caso 11 de dezembro. Se não for votada e aprovada nesse período, a MP perde a validade.

 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Congresso Emprego Governo

Bolsonaro muda agenda para discutir reforma administrativa

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, na tarde de hoje (18), a versão do Ministério da Economia do projeto de reforma administrativa, que o governo pretende enviar ao Congresso ainda esta semana.

“Vou estudar a noite toda hoje, peguei o consolidado agora”, disse o presidente ao chegar no Palácio do Alvorada, onde conversou com alguns apoiadores que o aguardavam. Pouco antes, ele cancelou a solenidade de lançamento do programa Mais Brasil para discutir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e outros auxiliares, os detalhes da reforma, considerada prioritária para este ano. Ontem (17), Bolsonaro já havia dito que deve apresentar a proposta até o fim desta semana

O projeto, que será enviado na forma de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), deve propor o fim da estabilidade automática para futuros servidores públicos. A ideia seria definir um tempo para atingir a estabilidade, de acordo com cada carreira e com uma avaliação de desempenho. Além disso, outro objetivo da medida seria reduzir o número de carreiras de cerca de 300 para algo em torno de 20 e que os salários para quem entrar na carreira pública passem a ser menores do que são atualmente.

Briefing do Porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros
O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, falou sobre o programa Mais Brasil – Valter Campanato/Agência Brasil

Mais Brasil

Em vez da solenidade, alguns detalhes sobre o programa Mais Brasil foram apresentados em breve pronunciamento do porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros. Segundo ele, o programa tem o objetivo de agregar ferramentas para aumentar a produtividade e ampliar as capacidades gerenciais nas empresas. Além do setor de manufatura, deve incluir empresas de comércio e serviços. 

“Dessa maneira, pretende-se integrar os serviços de parceiros estratégicos, Senai [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial] e Sebrae [Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas], aderentes aos fundamentos do programa e disponibilizar uma plataforma única para iniciativas e para difusão de informações e oportunidades para o aperfeiçoamento contínuo, o aumento da produtividade e a transformação digital das empresas brasileiras, com foco especial nas de micro, pequeno e médio porte”, disse Rêgo Barros. 

O porta-voz também informou que o programa terá investimento em torno de R$ 1 bilhão, se tornando o segundo maior programa de produtividade do mundo e o maior programa de transformação digital da América Latina. 

Segundo o decreto assinado por Bolsonaro, e que deve sair na edição de amanhã (19) do Diário Oficial da União, o programa Mais Brasil será coordenado pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia. A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) foi designada para atuar como instituição responsável pela gestão operacional do programa. Entre as atribuições, está a de promover a gestão dos contratos de consultoria prestada às empresas beneficiárias do programa e monitorar a execução dos serviços. 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Bruno Covas interna-se hoje para novos exames

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, vai ser internado ainda nesta terça-feira (18) no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, para a realização de novos exames. Após esses exames, os médicos deverão definir qual será a próxima fase do tratamento que o prefeito, que foi diagnosticado com câncer, deverá enfrentar.

No dia 23 de outubro do ano passado, Bruno Covas foi internado para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares, e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer. 

Covas, de 39 anos, foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão em linfonodos.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Financeiro

BC anuncia amanhã marca para pagamento instantâneo no Brasil

O Banco Central anuncia amanhã de manhã a marca associada ao pagamento instantâneo no Brasil, que será batizada de PIX. O anúncio será feito no edifício do banco na capital paulista, com transmissão ao vivo pelo canal do órgão no Youtube. “A definição do nome da marca, já agora em fevereiro, demonstra o comprometimento do Banco Central do Brasil em lançar o PIX em novembro deste ano”, disse o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello.

Mello anunciou, na tarde de hoje (18), as regras de participação deste novo modelo durante o 7º Fórum Pagamentos Instantâneos, realizada em São Paulo. “As novidades que trago hoje para vocês são os critérios e as modalidades de participação no PIX, no SPI [Sistema de Pagamentos Instantâneos] e no DICT [Diretório de Identificadores de Contas Transacionais], ou seja, no arranjo de pagamento, na plataforma de liquidação e na base de endereçamento [respectivamente]”.

A diretoria colegiada do Banco Central do Brasil aprovou as regras de participação em reunião ocorrida na semana passada e a circular com essas regras será publicada no Diário Oficial desta quarta-feira, segundo o diretor. “A explicação é relativamente simples: vamos obrigar que algumas instituições sejam participantes do PIX – o arranjo de pagamento – para fazer com que essa alternativa chegue ao cliente final”.

Obrigatoriedade do PIX

Mello explicou que o critério definido é que todas as instituições financeiras e instituições de pagamento com mais de 500 mil contas de clientes ativos, considerando aqui, para ser bem claro, contas de depósito à vista, contas de depósito de poupanças e as contas de pagamentos pré pagas, todas essas instituições com mais de 500 mil contas ativas serão obrigadas a participar do PIX. “Por meio desse critério, teremos cerca de 30 instituições, entre instituições financeiras e instituições de pagamento, representando mais de 90% das contas transacionais ofertadas no Brasil, que deverão ser participantes obrigatórias do PIX”, explicou Mello.

A ideia é substituir as transações com dinheiro em espécie ou por meio de transferências bancárias (TED – Transferência Eletrônica Disponível – e DOC – Documento de Ordem de Crédito) e débitos por transações entre pessoas. Segundo o BC, os pagamentos instantâneos serão feitos em alguns segundos e funcionarão por 24h todos os dias da semana.  

“Fazer transferências com uso de chave para endereçamento e realizar pagamentos com leitura de QR code estático ou dinâmico, essas funcionalidades estarão disponíveis desde o lançamento do PIX em novembro deste ano. Inclusive uma das funcionalidades que estarão disponíveis em novembro é a arrecadação de recursos pela Secretaria do Tesouro Nacional”, disse. O lançamento oficial, com todas as funcionalidades, está previsto para ocorrer em 16 de novembro. No entanto, em 3 de novembro, haverá um pré-lançamento com o sistema ainda em produção.

O diretor explicou que ser participante do PIX implica que a instituição deve não só estar apta a receber um PIX como também ofertar o PIX, com todas as suas funcionalidades e formas de iniciação para seus clientes. “Obviamente todas as demais instituições financeiras de pagamento, mesmo aquelas que ainda não atingiram os limites para requerer autorização de funcionamento como instituição de pagamento, poderão de forma facultativa participar do PIX desde o seu lançamento”, disse.

Início dos testes

Mello anunciou que, além do lançamento da marca do PIX, amanhã começam os testes na plataforma de liquidação (SPI) e no DICT, que é a base de endereçamento.

“Dentre o universo de participantes do PIX, algumas instituições também serão obrigadas a ser participantes diretos do Sistema de Pagamento Instantâneo (SPI), ou seja, terão que se conectar diretamente com a infraestrutura de liquidação do Banco Central. Todos os bancos comerciais, bancos múltiplos com carteira comercial e caixas econômicas que sejam participantes do PIX deverão obrigatoriamente ser participantes do SPI”, disse. Esse critério representa cerca de 20 instituições. Todas as instituições que sejam participantes diretas do SPI também deverão acessar a base de endereçamento de forma direta.

Mello explicou que essas medidas de obrigatoriedade visam viabilizar a disseminação do PIX, dando ao cliente o poder de escolha. “Temos convicção de que esse novo meio de pagamento inserido em um ambiente aberto, competitivo e seguro, trará mais eletronização e eficiência ao mercado de pagamentos de varejo, permitindo desenvolvimento de soluções focadas na experiência do cliente e que permitam uma maior inclusão. Por fim, é fundamental que as principais instituições operando no mercado de varejo ofertem esse serviço aos seus clientes”, disse.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Chuva em São Paulo deixa região do Ipiranga em alerta para alagamentos

As chuvas que atingem boa parte da capital paulista nesta terça-feira (18) desde o final da tarde já provocaram transbordamento do Córrego Ipiranga, na Praça Leonor Kaupa, região sudeste da cidade, deixando a região em estado de alerta para transbordamento.

A Defesa Civil também decretou estado de atenção, anterior ao de alerta, para as demais regiões da cidade, com exceção da zona norte.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas, há três pontos de alagamento neste momento na capital, todos na Avenida Professor Abraão de Morais.

Por causa de alagamentos na via provocados pela chuva, a Linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos está opeanando apenas parcialmente, sem circular entre as estações Prefeito Celso Daniel-Santo André e Capuava. 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Financeiro Política

Dólar encosta em R$ 4,36 e renova recorde desde criação do real

Em mais um dia de oscilações no câmbio, o dólar subiu novamente e voltou a fechar no maior valor nominal desde a criação do real. Nesta terça-feira (18), o dólar comercial encerrou a sessão vendido a R$ 4,358, com alta de R$ 0,029 (+0,66%).

Foi o segundo dia seguido de valorização da divisa, que operou em alta durante toda a sessão. Desde o começo do ano, o dólar acumula valorização de 8,6%.

O Banco Central (BC) não tomou novas medidas para segurar a cotação. Hoje, a autoridade monetária leiloou US$ 650 milhões para rolar (renovar) contratos de swap cambial – que equivalem à venda de dólares no mercado futuro – com vencimento em abril. O leilão faz parte da rolagem de US$ 13 bilhões de swap que venceriam daqui a dois meses.

No mercado de ações, o dia também caracterizou-se pela turbulência. O índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou esta terça-feira aos 114.977 pontos, com recuo de 0,29%. O indicador operou com queda superior a 1% durante boa parte da sessão e recuperou-se no fim da tarde, mas em ritmo insuficiente para reverter a baixa.

Nas últimas semanas, o mercado financeiro em todo o mundo tem atravessado turbulências em meio ao receio do impacto do coronavírus sobre a economia global. A interrupção da produção em diversas indústrias da China está afetando as cadeias internacionais de produção. Indústrias de diversos países, inclusive do Brasil, sofrem com a falta de matéria-prima para fabricarem e montarem produtos.

A desaceleração da China também pode fazer o país asiático consumir menos insumos, minérios e produtos agropecuários brasileiros. Uma eventual redução das exportações para o principal parceiro comercial do Brasil reduz a entrada de dólares, pressionando a cotação.

Entre os fatores domésticos que têm provocado a valorização do dólar, está a decisão recente do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic – juros básicos – para 4,25% ao ano, o menor nível da história. Juros mais baixos desestimulam a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, também puxando a cotação para cima.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Cedae é multada por falta de água durante incêndio no Museu Nacional

A Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio (Agenersa) multou a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) em R$ 5,6 milhões pela falta de água nos hidrantes no entorno do Museu Nacional, durante incêndio ocorrido em 2 de setembro de 2018. A decisão foi julgada nesta terça-feira (18) e passa a valer assim que for publicada no Diário Oficial do Estado. A Cedae poderá recorrer.

Foi constatada ausência de manutenção bem como falta ou baixa pressão de água nos hidrantes instalados no entorno do Museu Nacional, o que inviabilizou o uso pelo Corpo de Bombeiros durante o incêndio. De acordo com a legislação sobre o assunto, a responsabilidade da manutenção, vazão e pressão da água é da Cedae, bem como a instalação, manutenção e operação dos hidrantes urbanos.

“No dia do incêndio, foi constatado pelo Corpo de Bombeiros que nenhum dos seis hidrantes de coluna estava com carga de água suficiente para os serviços de combate ao incêndio do Museu Nacional. Verificamos que o funcionário da Cedae, ao chegar com sua equipe oferecendo ajuda aos bombeiros, foi-lhe solicitado a pressurização dos hidrantes no entorno do Museu e sua resposta foi no sentido de não ser possível devido a problemas técnicos”, explicou na decisão o conselheiro relator Silvio Carlos Santos Ferreira.

Procurada, a Cedae ainda não se posicionou sobre a decisão.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Governo Nota Rodovias

Venda de combustíveis no Brasil cresce 2,89% em 2019

Em 2019, 140 bilhões de litros de combustíveis foram vendidos no mercado brasileiro. O volume representa um aumento de 2,89% na comparação com 2018, quando foram comercializados 136 bilhões de litros. Os dados foram apresentados no Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis realizado hoje (18), no Rio de Janeiro, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O maior aumento proporcional ocorreu no comércio de etanol hidratado, que subiu 16,2% em 2019. “O crescimento foi motivado, em grande parte, pelo ganho de competitividade em relação à gasolina C”, pontua a ANP em nota. 

A gasolina C é a gasolina com adição de etanol anidro vendida aos postos revendedores e em seguida ao consumidor final. Sua comercialização teve, no ano passado, retração de 0,56% na comparação com 2018. O etanol anidro (misturado à gasolina), também teve essa ligeira queda de desempenho. A redução das vendas foi igualmente de 0,56%.

De outro lado, houve crescimento de óleo diesel B (2,97%) e biodiesel (8,61%). Nesse segundo caso, o aumento já era esperado. Em setembro do ano passado, a ANP aprovou um aumento do percentual de adição de biodiesel ao óleo diesel.

Segundo o diretor da ANP, Felipe Kury, a expectativa é que a tendência de crescimento se mantenha em 2020 e acompanhe a economia do país. “Se a economia crescer a 2 ou 3%, você terá o reflexo disso na venda de derivadas. Não tenho dúvidas disso. A principal preocupação são os gargalos de infraestrutura. Não é tanto a oferta de produto. Será que a infraestrutura logística suporta um crescimento de 2 a 3%? Será que portos, ferrovias, rodovias estão preparadas para escoar a produção? Essa é uma questão importante, mas acho que o governo está tratando disso com bastante afinco e dedicação”, disse.

Outros produtos

Os dados da ANP também revelaram uma queda na comercialização de gás liquefeito de petróleo (GLP) de 0,3%. Também houve redução, de 2,57%, nas vendas de querosene de avião. A ANP avalia que a suspensão das operações da Avianca no Brasil impactaram nos negócios.

O óleo combustível também sofreu queda de 18,25%. “Saiu de 2,312 bilhões de litros para 1,890 bilhões de litros em função da continuidade do processo de substituição tecnológica por combustíveis mais limpos”, diz a ANP.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Governo

Bolsonaro dá posse a Braga Netto na Casa Civil

O presidente Jair Bolsonaro deu posse ao general Walter Souza Braga Netto na chefia da Casa Civil, na tarde desta terça-feira (18). A solenidade também marcou a posse de Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania, em substituição a Osmar Terra, que reassumiu seu mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Em seu discurso, dirigindo-se diretamente à Braga Netto, o presidente reafirmou que a principal missão do novo ministro será a coordenação das demais pastas e programas do governo. Ele também elogiou o trabalho do general à frente do Estado Maior do Exército.  

“O senhor acaba de deixar a chefia do Estado Maior do Exército, uma missão difícil, e só quem tem liderança pode exercê-la. Agora, o senhor ocupa a chefia da Casa Civil, semelhante à chefia do Estado Maior do Exército. Coordenará e me auxiliará, e muito, no contato com os ministros e na solução dos problemas que vão se apresentar para nós”, afirmou.

Aos 66 anos de idade, Braga Netto é general do Exército Brasileiro e ocupou importantes funções militares. Em julho de 2016, foi nomeado Comandante Militar do Leste, um dos oito comandos nacionais do Exército, com sede no Rio de Janeiro. Em 2018, ficou nacionalmente conhecido após ser nomeado, pelo então presidente Michel Temer, como interventor federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro, cargo que exerceu até o final do mesmo ano, durante a vigência da intervenção.

“Espero corresponder aos anseios do senhor e da nação brasileira. Não me faltarão empenho, dedicação, lealdade e abnegação de contribuir para o crescimento do país”, afirmou Braga Netto, em breve discurso.

No Ministério da Cidadania, Onyx Lorenxoni vai comandar as principais políticas sociais do governo federal, incluindo o programa Bolsa Família, que está em processo de reformulação pela atual gestão. Em seu discurso de posse, o ministro disse que pretende seguir o trabalho do antecessor e buscar a redução das desigualdades. 

“Parto para um novo desafio, uma nova missão. Seguir o trabalho iniciado por Osmar Terra, com amor pelo seu semelhante, na luta incansável para a redução das desigualdades e da atenção àqueles que realmente precisam. No time Bolsonaro, a gente pode trocar de número, mas a camiseta é sempre a mesma, apaixonadamente verde e amarela”, afirmou.

Jair Bolsonaro ainda disse, durante a solenidade, que as autoridades de todos os poderes devem buscar o entendimento para solucionar os problemas do país e que o mundo está voltando a confiar no Brasil.

“Como sempre digo, o Brasil tem tudo para ser um grande país. Prezados privilegiados, aqui presentes, ministros, autoridades do Legislativo, chefes do Judiciário, basta apenas o entendimento entre nós, basta apenas que conversemos cada vez mais e, na prática, venhamos a apresentar propostas que venham a colocar em lugar de destaque no mundo. Uma das coisas mais importantes que aconteceu, desde a chegada dos senhores ao governo, foi a recuperação da confiança que o mundo não tinha conosco”.

De volta à Câmara dos Deputados, Osmar Terra agradeceu a Bolsonaro e prometeu continuar auxiliando o governo no Poder Legislativo. “Vou continuar trabalhando ao seu lado, onde eu estiver. Sou um soldado para que esse país mude. O senhor [Bolsonaro] representa a única oportunidade de fazer com que esse país mude”, afirmou.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil Governo

Bancos com mais de 500 mil contas têm de adotar pagamento instantâneo

As instituições financeiras com mais de 500 mil contas ativas terão de oferecer a seus clientes o sistema de pagamento instantâneo, que será lançado em novembro. A determinação consta de circular editada hoje (18) pelo Banco Central (BC).

A exigência considera as contas de depósito à vista, as contas de depósito de poupança e as contas de pagamento pré-pagas das instituições financeiras. A circular também determina que as instituições ofereçam aos clientes todas as funcionalidades de iniciação e de recebimentos de pagamentos do novo instrumento.

Em fase de testes, o sistema de pagamento instantâneo permitirá a transferência de dinheiro em apenas 10 segundos e funcionará 24 horas por dia. A ferramenta será usada tanto por bancos tradicionais de varejo, como por novos tipos de instituições de pagamentos, como fintechs, tipo de instituição que trabalha com contas e com carteiras digitais. Conforme o BC, o novo sistema reduzirá custos e aumentará a concorrência, por ser aberto a qualquer instituição.

Atualmente, as duas modalidades mais usadas de transferência entre instituições diferentes, a Transferência Eletrônica Disponível (TED) e o Documento de Ordem de Crédito (DOC), têm restrições de horário e levam de 30 minutos a duas horas para serem concluídas. Mesmo o pagamento com cartão de débito não gera crédito na conta do lojista ao mesmo tempo.

O Banco Central também anunciou ter fechado acordo de cooperação técnica com o Tesouro Nacional para que os cidadãos brasileiros usem os pagamentos instantâneos para fazerem seus recolhimentos ao governo federal. Segundo o Banco Central, a quitação das obrigações com a União se dará de maneira mais simples e rápida, melhorando a experiência atual.

 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Educação Justiça Procuradoria Saúde Tribunal

STJ mantém liberdade de Ricardo Coutinho, ex-governador da Paraíba

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou um recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) e decidiu hoje (18), por 4 votos a 1, manter o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho em liberdade.

Ele é alvo da Operação Calvário, da Polícia Federal (PF), que investiga o desvio de R$ 134,2 milhões em verbas públicas das áreas de saúde e educação do estado. Segundo a PGR, Coutinho atuou no comando do esquema.

Coutinho, que é filiado ao PSB, chegou a ser preso provisoriamente em 19 de dezembro, mas foi solto dois dias depois por decisão do ministro Napoleão Nunes Mais, do STJ, que entendeu não haver fundamentos para o mandado de prisão e concedeu um habeas corpus ao político.

A decisão de Maia foi agora confirmada pela Sexta Turma. A relatora, ministra Laurita Vaz, foi a primeira a votar pela rejeição do recurso da PGR e manutenção da liberdade de Coutinho. Ela foi seguida pelos ministros Sebastião Reis, Nefi Cordeiro e Antônio Saldanha.

Os ministros entenderam que o decreto de prisão contra o ex-governador não foi capaz de demonstrar como o político continua a cometer crimes, uma vez que já deixou o cargo. O único a votar pela prisão de Coutinho foi o ministro Rogério Schietti.

No mesmo julgamento, também fori confirmada a concessão de habeas corpus a Cláudia Luciana de Sousa Mascena Veras, Francisco das Chagas Ferreira, David Clemente Monteiro Correia e Márcia de Figueiredo Lucena Lira. Todos estão envolvidos no caso.

Em dezembro, quando foi decretada sua prisão, Coutinho negou as acusações e disse que “jamais seria possível o estado ser governado por uma organização criminosa e ter vivenciado avanços nas obras e políticas sociais nunca antes registrados”.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Justiça Tribunal

STF mantém decisão que retirou cidadania de ex-sócio da Telexfree

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (18) manter a decisão do Ministério da Justiça, assinada em 2018, que decretou a perda da nacionalidade brasileira do empresário Carlos Nataniel Wanzeler, ex-sócio da Telexfree, empresa que responde a diversas ações no Brasil pela acusação de prejudicar consumidores por meio de um suposto esquema de pirâmide financeira.

Por 3 votos a 1, os ministros entenderam que o empresário não tem mais a cidadania brasileira por ter adquirido a cidadania norte-americana, em 2009. A decisão foi baseada nos termos do Artigo 12, §4º, Inciso II, da Constituição. Pela norma, é declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que adquirir outra nacionalidade.

Com a decisão, em caso de eventual pedido de extradição em função de investigações no exterior, o empresário poderá ser extraditado do Brasil, onde está atualmente.

Durante o julgamento, a defesa do empresário alegou que a nacionalidade norte-americana foi obtida por motivos familiares, diante da demora das autoridades locais em liberar o visto de imigrante para ele e sua filha. O ex-sócio da Telexfree também tinha o green card, visto de entrada liberada nos Estados Unidos. 

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Seleção feminina: Pia Sundhage convoca para Torneio da França

A técnica da seleção feminina de futebol, a sueca Pia Sundhage, anunciou nesta terça (18) a relação de convocadas para a disputa do Torneio Internacional da França, competição que servirá de preparação para os Jogos Olímpicos de 2020, que acontecem em Tóquio (Japão).

No Torneio Internacional da França o Brasil enfrentará as seleções da França, da Holanda e do Canadá entre os dias 2 e 11 de março nas cidades de Calais e Valenciennes.

Novidades

Nesta convocação a técnica sueca chamou duas jogadoras pela primeira vez, a goleira Natasha e a lateral-esquerda Jucinara.

Também chamou a atenção o aumento do número de jogadoras que atuam no Brasil na atual convocação. Segundo Pia, isso se deu pela melhora do futebol feminino no Brasil: “O fato de a CBF ter uma liga competitiva é excelente. Sonho com jogadoras lá de fora virem jogar aqui. Isso não é impossível, mas podemos chegar nesse nível com bons técnicos, boas jogadoras e transmissão dos jogos”.

Relação de convocadas:

Goleiras: Aline – UD Granadilla Tenerife (Espanha), Bárbara – Avaí/Kindermann (Brasil) e Natascha – Paris FC (França).

Defensoras: Bruna Benites – Internacional (Brasil), Daiane – Tacón (Espanha), Erika – Corinthians (Brasil), Jucinara – Levante UD (Espanha), Letícia Santos – F.F.C Frankfurt (Alemanha), Rafaelle -Changchun Dazhong (China), Tayla – Santos (Brasil) e Tamires – Corinthians (Brasil).

Meio-campistas: Aline Milene – Ferroviária (Brasil), Andressa Alves – Roma (Itália), Andressinha – Corinthians (Brasil), Debinha – North Carolina Courage (EUA), Duda – São Paulo (Brasil), Formiga – Paris St Germain (França), Luana – Paris St Germain (França) e Thaisa – Tacón (Espanha).

Atacantes: Bia Zaneratto – Palmeiras (Brasil), Cristiane – Santos (Brasil), Geyse – Madrid CFF (Espanha), Ludmila – Atlético de Madrid (Espanha) e Marta – Orlando Pride (Estados Unidos).

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil Corrupção Lava Jato Tribunal

Lava Jato denuncia Jucá e Raupp por corrupção e lavagem de dinheiro

 

Presidente do MDB, Romero Jucá, fala à imprensa no Palácio do Planalto
Ex-senador do MDB Romero Jucá (RR) – Valter Campanato/Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) do Paraná voltou a apresentar denúncia contra o ex-senadores do MDB Romero Jucá (RR) e Valdir Raupp (RO) no âmbito da Lava Jato, por desvios na Transpreto, subsidiária na Petrobras. Ambos são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro.

Os dois já haviam sido denunciados em 2017 pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelos mesmos crimes, mas tiveram o caso remetido à primeira instância pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), após o termino de seus mandatos como senadores. O caso hoje tramita na 13ª Vara Federal de Curitiba.

Também foram denunciados o ex-presidente da Transpetro Sergio Machado; os executivos da NM Engenharia Luiz Maramaldo e Nelson Maramaldo; e o ex-executivo da Odebrecht Fernando Reis.

Segundo a denúncia, todos estariam envolvidos em um esquema de pagamento de propina mediante doações de campanha em troca de favorecimento ilegal em licitações com a Transpetro. Os crimes teriam ocorrido entre os anos de 2008 e 2010 e também em 2012.

De início, também estavam envolvidos os ex-senadores José Sarney e Garibaldi Alves Filho, mas o STF considerou que eles não poderiam mais ser punidos ante a prescrição dos crimes. Parte da investigação, envolvendo o senador Renan Calheiros (MDB-AL), permanece em tramitação no Supremo.

Segundo a denúncia, os executivos da NM Engenharia e da Odebrecht Ambiental pagavam propina aos políticos para que mantivessem Sergio Machado no comando da Transpreto, em troca de contratos com a subsidiária da Petrobras.

Uma primeira propina de R$ 100 mil, por exemplo, teria sido paga em 2008 pela NM Engenharia em forma de doação eleitoral para diretório estadual do MDB em Roraima, à época presidido por Jucá, diz a denúncia. Outro R$ 1 milhão teria sido pago em 2012 por meio de doação ao diretório nacional do MDB.

A denúncia tem como origem a delação premiada de Sergio Machado e também dos executivos Luiz e Nelson Maramaldo e Fernando Reis.

A Agência Brasil tenta contato com a defesa dos envolvidos. À época da apresentação da primeira denúncia pela PGR, o então senador Valdir Raupp disse “jamais tratou sobre doações de campanha eleitorais junto a diretores da Transpetro ou quaisquer outras pessoas até porque não foi candidato a nenhum cargo eletivo nas eleições de 2012 e 2014”.

Na mesma ocasião, a defesa de Jucá disse não haver “nenhum motivo para fazer essa denúncia, o que existe é a palavra de um delator desmoralizado”, em referência aos depoimentos de Machado.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Análise mostra contaminação em mais 14 lotes de cerveja Backer

Perícia feita pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA/MG) detectou traços de pelo menos um dos elementos contaminantes etilenoglicol e dietilenoglicol – substâncias altamente tóxicas e impróprias para consumo humano – em mais 14 lotes de cervejas feitas pela Backer. Os lotes contaminados foram produzidos entre julho de 2019 e janeiro de 2020.

No total, 55 lotes de rótulos diversos da cervejaria já foram considerados contaminados. Além dos rótulos mais conhecidos – a cerveja Belorizontina e a Capixaba -, as marcas Backer Pilsen, Backer Trigo, Brown, Backer D2, Capitão Senra, Corleone, Fargo 46, Layback D2, Pele Vermelha e Três Lobos Pilsen também tiveram resultado positivo para substâncias que não deveriam fazer parte da fórmula da cerveja.

A fiscalização foi feita de acordo com os protocolos higiênico-sanitários estabelecidos pelo ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e faz parte do processo de regularização da cervejaria Backer. De acordo com o ministério, a contaminação deve ser tratada como caso isolado, e não apresenta qualquer risco à produção de cervejas em escala nacional ou de outras cervejarias.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Brasil

Sereias retomam ponta do Brasileiro com público maior que masculino

O Santos recuperou a ponta da Série A-1 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino ao vencer o Cruzeiro por 2 a 0 na Vila Belmiro, em Santos (SP). Segundo o Peixe, cerca de 7,7 mil torcedores acompanharam a partida desta segunda-feira (17), válida pela terceira rodada da competição. O público supera a média registrada pelo time masculino santista no Campeonato Paulista (7,1 mil) após três partidas como mandante.

Sereias da Vila venceram Cruzeiro por 2 a 0
De acordo com o Santos, 7,7 mil torcedores acompanharam a partida contra o Cruzeiro. – Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Santos FC/ Direitos Reservados

O jogo diante das cruzeirenses teve entrada gratuita, ao contrário dos compromissos da equipe masculina. Mas, para o técnico santista, Guilherme Giudice, a evolução do futebol feminino no país e a identificação da torcida alvinegra com o elenco foram os atrativos que levaram o público ao estádio.

“As comissões técnicas se preparando melhor, entendendo melhor o jogo. Temos um campeonato equilibrado, com equipes organizadas. Isso atrai o torcedor, deixa a partida mais estratégica. Aqui em Santos, as Sereias já são muito conhecidas. Sabíamos que teríamos um grande público se jogássemos aqui (na Vila). Espero que, após esse jogo, possamos atrair ainda mais público”, destacou o treinador, em entrevista coletiva.

Sereias da Vila venceram Cruzeiro por 2 a 0
Sereias da Vila venceram Cruzeiro por 2 a 0 na última segunda-feira (17). – Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Santos FC/ Direitos Reservados

A partida foi decidida com gols de Jajá (contra) e Brena. Com a derrota, as mineiras estacionaram nos seis pontos e perderam a invencibilidade no Brasileiro. Já as santistas foram aos mesmos nove pontos de Ferroviária e Corinthians, mas ficando à frente pelo saldo de gols: nove, contra oito das Guerreiras Grenás e seis do Timão.

As atuais campeãs da Libertadores Feminina, aliás, também venceram na segunda (17): 3 a 0 sobre o Audax no Parque São Jorge, em São Paulo. Giovanna Crivelari, Victória Albuquerque e Maiara balançaram as redes e estenderam para 48 jogos a atual invencibilidade do Alvinegro. O tropeço manteve a equipe de Osasco na 14ª e antepenúltima posição, na zona de rebaixamento, ainda sem pontos ganhos. A equipe só fica a frente de Ponte Preta e Vitória pelo saldo de gols.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
Banco Brasil

Fernando Guimarães: “Um estranho no ninho”

O principal personagem da equipe ucraniana que está em São Paulo para um intercâmbio de duas semanas com a equipe nacional de vôlei sentado vem do banco de reservas: Fernando Guimarães. Não é só o sobrenome; o tipo físico e o comportamento à beira da quadra comprovam que ele é mesmo o irmão mais novo do José Roberto Guimarães, técnico tricampeão olímpico. Mas, ele também tem muita história no esporte. Só na seleção masculina da modalidade, foram mais de cinco anos como técnico. Em entrevista realizada no Centro de Treinamento Paralímpico, ele falou sobre esses e outros assuntos. 

Agência Brasil – Como foi o contato com os ucranianos?

Fernando Guimarães – É um orgulho e um prazer ter sido lembrado. É reflexo do trabalho. Eu fiquei cinco anos como treinador da seleção masculina (entre os anos de 2010 e 2016, foram dois títulos parapanamericanos, o vice-campeonato mundial em 2014 e da Copa do Mundo em 2016, o quinto lugar na Paralimpíada de Londres e o quarto lugar nos Jogos do Rio de Janeiro).

Quando eu assumi a seleção, o Brasil nunca havia vencido a Ucrânia. E, aos poucos, começamos a vencê-los. Nesse tempo todo, eu sempre os encontrava em diversas competições. E, depois da Paralimpíada do Rio de Janeiro, quando eu saí da seleção, recebi alguns convites de outras equipes. E a ucrânia foi uma delas. Inclusive, um dos ucranianos veio jogar no time que eu comandava. Foi muito complicada a comunicação. Apesar de termos uma tradutora, as diferenças das línguas complicaram demais. Sem falar do estilo de jogo, que é totalmente diferente. Naquela época, essas questões acabaram “esfriando” a negociação. Mas agora, há pouco mais de um mês, eles me ligaram dizendo que iriam passar duas semanas aqui em São Paulo. E eu aceitei de pronto acompanhá-los. Mas é bem difícil. Eles não estão acostumados a treinar, a estudar. Eles jogam, entram na quadra e jogam. Jogam por jogar. Existe um potencial muito grande.

Agência brasil – Ainda correndo atrás da vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, a Ucrânia vai disputar o pré-olímpico mundial nos Estados Unidos no mês que vem. A competição acontecerá entre os dias 16 e 21 de março em Oklahoma nos Estados Unidos. Além dos anfitriões e dos ucranianos, a Croácia, o Canadá, a Alemanha, o Cazaquistão e a Letônia estarão na disputa pela última vaga. Como está a conversa dentro do grupo?

Guimarães – Eles me passaram que “ganhando, tudo bem. E perdendo, também tudo bem”. Eu não consigo ver neles algo que existe na seleção brasileira: aquela determinação. Perguntei se eles estavam vendo a vontade dos brasileiros durante os treinos. Não precisa ser tão sanguíneo quanto os brasileiros. Mas, se eles continuarem nesse ritmo e nessa pegada, acho muito difícil. Eles até são um dos favoritos. Acredito que a final vai ser Ucrânia e Alemanha, que retornou com a equipe completa. Eles precisam entender o jogo, querer mais, colocar o coração na quadra. Falei para todos: “é uma vaga olímpica. Vocês precisam querer mais do que a vida. Todo mundo quer participar de uma Olimpíada”.

Agência Brasil – E você vai encarar esse desafio como treinador deles?

Guimarães – Tem esse desafio da língua. Aqui em São Paulo, eu comecei a falar primeiro com o capitão. E ele fala muito pouco de inglês. Fiquei com a impressão de que eu iria apenas treiná-los aqui no CT, nem iria participar dos amistosos contra o Brasil. Mas eles falaram que eu precisava estar presente nas partidas. Eles sempre me falam que precisam de mim. Acho que pode acontecer uma conversa. Mas gostaria que eles me dessem carta branca. Só que teria que ser uma liderança por agregação, não por imposição. Por conta da minha trajetória, gostaria que eles me escutassem. Precisam “baixar a guarda” e reconhecer que eu posso ajudá-los. Eu gosto muito de jogo. Não importa contra quem, eu gosto de ganhar, odeio perder. Pode ser. Tomara que dê certo.

Agência Brasil – Do início de 2019 até os jogos Parapan-americanos de Lima, você foi o assistente técnico do José Guedes na seleção brasileira feminina. A equipe conquistou a prata e a vaga para a Paralimpíada de Tóquio. Mas você deixou o cargo. Por quê?

Guimarães – Foi a primeira vez que a equipe ganhou um set dos Estados Unidos. O Guedes deixou que eu colocasse em quadra muita coisa daquilo que eu acredito. As meninas entenderam que eu queria uma postura diferente, uma velocidade de jogo muito maior. Mas eu falei com o Guedes e com o Ângelo (Ângelo Alves – presidente da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes) que ser assistente não é do meu perfil. Para você ter uma ideia, eu fui assistente do meu irmão e durou apenas três jogos.

Agência Brasil – Passados quatro anos desde que você deixou a seleção masculina de vôlei sentado, qual a avaliação que você faz daquele período?

Guimarães – Eu peguei a seleção na 15ª posição do ranking e fomos crescendo, crescendo. Hoje o time está em segundo lugar. A gente conseguiu se impor e alcançamos boas vitórias. Fomos medalha de prata no mundial de 2014, vice na Copa do Mundo de 2016 e bi em Parapan-americanos. De 2013 até 2016, não ficamos fora de nenhum pódio e disputamos todas as finais. Mas faltou a “cereja do bolo” a medalha paralímpica. Eu tinha certeza que a gente ia fazer a final contra o Irã no Rio de Janeiro. Os meninos não tiveram culpa nenhuma. Eu fui o grande responsável pelo resultado (na semifinal, o Brasil perdeu para o Irã por 3 sets a 0 e, na disputa da medalha de bronze, foi derrotado pelo Egito por 3 sets a 2). Sempre jogávamos fora de casa e eu não precisava ter aquela preocupação com a namorada de um, a mãe de outro… Enfim, com os familiares. No Rio de Janeiro estávamos em casa. Eram mais de 10 mil pessoas por jogo no ginásio. No primeiro jogo, contra os Estados Unidos, quando ganhamos por 3 sets a 0, o meu assistente disse que tínhamos ido bem. Mas eu já estava sentindo que algo estava errado. Aquele resultado ainda está “engasgado”. Não tem um dia que eu não pense nisso. Por isso, eu quero voltar um dia para a seleção. Mas tudo ao seu tempo e no seu tempo. O Célio está fazendo um trabalho excelente (Célio César Mediato, atual técnico da seleção brasileira masculina). Ainda gostaria muito de ter uma outra oportunidade. Mas eu acredito que a seleção chega muito forte em Tóquio. Os meninos estão super maduros. Temos tudo para ganhar a medalha que não veio no Rio de Janeiro.

Agência Brasil – Como é o seu relacionamento com o José Roberto? Recentemente ele foi suspenso por três jogos depois de uma polêmica em uma partida da Copa Brasil (o Praia Clube acabou vencendo por 3 sets a 1 quando Zé Roberto, irritado por possíveis erros da arbitragem, retirou o time de quadra no quarto set com o placar empatado em 27). Vocês conversaram sobre isso?

Guimarães – Falei que ele só tinha recebido três jogos porque é o Zé Roberto. Se fosse eu, teria sido banido do vôlei. Eu achei que um erro não justifica o outro. Mas a arbitragem realmente está muito mal no vôlei brasileiro. Algo precisa ser revisto. Tem muito dinheiro rolando. De repente, você perde um jogo e uma classificação por um erro do árbitro, como foi o caso do Zé Roberto naquele dia. Daí como vai explicar para o patrocinador, que investiu R$ 5 ou até mesmo R$10 milhões na temporada? Como fica? Mas, enfim! O meu relacionamento com o Zé Roberto é muito bom. Estamos juntos quase todo final de semana. Andamos de cavalo juntos. Eu falo pouco de vôlei com ele porque a gente sempre briga quando começamos a falar sobre isso.

Agência Brasil – Estamos em um ano olímpico e, quando fala sobre a seleção brasileira, o seu irmão sempre se queixa que durante todo esse ciclo ele praticamente não conseguiu colocar em quadra ao mesmo tempo o trio Tandara, Natália e Gabi. Você considera que, se ele conseguir reunir esse grupo todo em plenas condições físicas, o Brasil pode brigar por uma medalha?

Guimarães – Eu acho que com todas no melhor condicionamento físico a gente briga de igual para igual com qualquer equipe. Agora, eu sempre digo para ele, infelizmente, o grupo brasileiro nunca esteve completo nesse período, e todos os principais adversários estiveram quase sempre 100%. Isso pode fazer muita diferença. Estamos três anos atrás das demais equipes em relação a preparação. Ele precisa ver se terá tempo para colocar essa equipe brasileira, que na teoria é muito forte, em condições de jogar e competir lá em Tóquio. Hoje você tem Sérvia e China em um patamar bem acima das demais. China ainda é espetacular. Mas a Rússia está vindo bem. A Itália é forte. Os Estados Unidos costumam oscilar um pouco nos Jogos Olímpicos, tanto que não venceram nenhum ainda, mas é um time fortíssimo. Só que o Zé tem um “negócio legal” com as Olimpíadas. Por isso eu confio muito nele. Mas, tem muitas variáveis nessa equação.

Agência Brasil – Como foi a reação do seu irmão depois daquela derrota para a China nas oitavas de final dos Jogos do Rio de Janeiro (a queda por 3 sets a 2 deixou o Brasil sem medalha e representou a pior campanha brasileira em Olimpíadas desde 1988)?

Guimarães – É tão complicado. Porque nas Olimpíadas tudo precisa conspirar a favor. Em Atenas, teve aquela derrota traumática para a Rússia (na semifinal, o Brasil perdeu vários match points e caiu para a Rússia por 3 sets a 2. Depois, na disputa do bronze, foi superado também por Cuba por 3 sets a 1 e acabou em quarto lugar). Todo mundo falou “um monte” e eu sei que ele passou quatro anos sem dormir pensando naquilo. E, em 2008, veio o ouro. Já, em 2012, o Brasil passou da primeira fase em quarto. Mas, se a Turquia tivesse vencido os Estados Unidos, o Brasil estaria fora ainda na fase inicial. Depois pegamos a Rússia (primeira da outra chave), passamos e ficamos com o ouro. Então, falar depois é fácil. O cara fica dizendo isso e aquilo. Mas gostaria que as pessoas fossem lá no treino para tentar entender um pouco mais porque certas coisas acontecem. Acredito que assim as pessoas poderiam saber mais sobre as dificuldades que as pessoas passam nos momentos decisivos. Mas, naquele dia do jogo contra a China, eu fui dormir quando o Brasil estava ganhando por 1 set a 0 porque a jogo estava muito fácil. Acordei no final do jogo vendo o meu sobrinho-neto indo lá abraçá-lo e não acreditei no placar de 3 sets a 2 para a China. A gente não consegue conviver com a derrota. O ganhar para gente, para mim, para ele, acredito que para o Bernardinho também, é obrigação. Quando eu perco, fico maluco. Mesmo que o meu time seja inferior, eu fico procurando soluções ou algo que eu poderia ter feito para vencer a partida. Ele age exatamente da mesma forma. Mas, nada como um dia após o outro. Daqui a pouco temos mais uma chance. Talvez venha mais uma medalha.

Agência Brasil – Ele já está com 65 anos. Você acredita que, independentemente do resultado, essa será a última olimpíada dele?

Guimarães – Logo depois de Londres, eu perguntei para ele: “você é bicampeão olímpico. Por que continuar? Você sabe que, se perder, será muito cobrado”. E a resposta foi tão simples e bonita: “vou seguir porque eu gosto muito disso. Eu preciso…” mas, agora, eu acho que, depois da chegada dos netos, ele vai parar. Claro que são dois exemplos de caras super vitoriosos, mas o Zé Roberto e o Bernardinho acabaram “matando” quatro gerações de técnicos brasileiros. Só os dois ficam na seleção. É importante uma renovação. Por exemplo, você vê que o Renan Dal Zotto pegou a seleção depois de uma era brilhante do Bernardo e está se saindo super bem. Acho que vai acontecer a mesma coisa com o Zé Roberto. Tá na hora de descansar.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
International

Brasil estudia construir una planta binacional con Bolivia

Brasil estudia la construcción de una planta hidroeléctrica binacional en asociación con Bolivia, que tendría ubicación en el río Mamoré, cerca del municipio de Guajará-Mirim, estado de Rondônia.

La posibilidad fue comentada el viernes (14) por el director brasileño de Itaipú, el general Joaquim Silva e Luna, durante una ceremonia para celebrar el récord de 2,7 mil millones de megavatios / hora (MW/h) producidos por Itaipú desde el comienzo de su operación, en 1984.

“Será necesaria [la nueva planta]. Itaipú puede servir como referencia, incluso de relaciones [internacionales], ya que es una construcción de largo plazo. Itaipu puede ayudar mucho si se toma esta decisión. El pronóstico es que sean dos centrales hidroeléctricas, de 5 mil MW a 6 mil MW [en total]. Brasil necesita energía segura. La ingeniería diplomática para hacer tal construcción no es pequeña, es tan compleja como la ingeniería para hacer la obra”, dijo Silva y Luna.

Costo

El director técnico ejecutivo de Itaipú, Celso Villar Torino, estimó en unos US$ 5 mil millones el valor de la construcción de la planta binacional con Bolivia, teniendo en cuenta el valor de las grandes plantas recientes.

“Habría que hacer un análisis detallado del sitio, pero las grandes plantas, como referencia, han costado alrededor de US$ 5 mil millones. Brasil tiene un mercado en crecimiento [de energía]. No hay duda de que el país tiene mercado para absorber una planta hidroeléctrica de 5 mil MW a 6 mil MW”, dijo Torino. Según él, la conexión de la futura planta podría hacerse utilizando la línea de transmisión de las plantas de Jirau y Santo Antônio, construidas en el río Madeira, también en Rondônia.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Categorias
International

Brasil perdió más en la década de 2010 que en la de 1980

Un estudio de la Confederación Nacional del Comercio de Bienes, Servicios y Turismo (CNC), divulgado este jueves (18), indica que la década de 2010 causó más daños al país que la de 1980, conocida como la Década Perdida.

De acuerdo con el estudio, que compara los indicadores de ambos períodos, la recesión de 2015-2016 tuvo efectos aún más adversos que en el decenio de 1980, provocando una lenta recuperación de la economía, con repercusiones en el mercado laboral y la concentración de los ingresos.

“Ambas décadas tuvieron un fuerte impacto en las empresas y los trabajadores, como el aumento del desempleo y la expansión de la mala distribución y concentración de la riqueza, causando un empeoramiento significativo en las condiciones de vida de los brasileños”, dijo en un comunicado José Roberto Tadros, presidente de la CNC.

El PIB brasileño, según el estudio, creció un 33,3% en la década de 1980, a una tasa media anual del 2,9%. Ya en la década de 2010, se registró un crecimiento acumulado del 14,1%, con un promedio anual del 1,3%.

De acuerdo con el análisis, Si el PIB de 2019 aumenta un 1% -confirmando la expectativa del mercado– la economía brasileña podría registrar un bajo crecimiento medio anual durante este período, posponiendo las posibilidades de absorber el contingente de desempleados.

“El panorama es bastante diferente del observado en los años ochenta, cuando, incluso con las recesiones de 1981 y 1983, existía una fuerte capacidad de recuperación, que se puso de manifiesto en el ritmo de crecimiento económico de la segunda mitad del decenio”, dijo Antonio Everton, economista de la CNC responsable del estudio.

En la década de 1980, según mostró el sondeo, la crisis redujo la producción brasileña en un 7,2%, mientras que en 2010 la contracción fue ligeramente inferior, del 6,9%. Sin embargo, la economía no pudo encontrar condiciones suficientes para reanudar el crecimiento después de 2017.

Maiores informações: http://agenciabrasil.ebc.com.br